...No hospital...

Amado Batista é o Maximo! Com canções rasgadas de romantismos de boteco, esse goiano há anos é sucesso em todo o país e em especial no interior do nordeste.
Conheci a música de Amado Batista em minha cidade natal, Mundo Novo- Chapada Diamantina- BA. Sendo mais especifico, na Barra, distrito de Mundo Novo.
Amado Batista está ligado a minha infância as raízes de um país pouco conhecido em que ele é certamente uma das mais importantes figuras.
Meu pai adorava a Canção “Amor Perfeito” aquela na qual tem versos inesquecíveis como: “ No hospital na sala de cirurgia/ pela vidraça eu via/ Você sofrendo a sorrir”. Essa canção é do disco “Sementes de Amaro” lançado em 1978 pela gravadora Continental.
Das canções do Amado a que mais gosto é “Monotonia” e não há como negar que me emociono toda vez que ouço o piano de “ Os Seresteiros da Noite” seguido dos versos “ Ah! Como eu queria voltar ao passado/ nas madrugadas vazia/ de sereno meu violão molhado/ eu cantava em sua janela / eu era o seu namorado”
Amado Batista sabe como ninguém fazer uma bela canção de boteco e quantos marmanjos já não choraram ao ouvir suas canções? Lembro um dia andando pela Rua Direita em Santo Amaro-Ba, dei de cara com um grandalhão tomando uns 51 e uns e quem ele estava ouvindo? Amado Batista.
Quase todas as canções de Amado Batista são em parcerias com o baiano Reginaldo Sodré, parceiro essencial. Juntos fizeram e fazem a trilha sonora do encontro e do desencontro de muita gente.
Tenho enorme respeito por esse artista fruto das entranhas deste país e que sabe tocar com simplicidade nas coisas mais honestas e profundas dos corações e mentes de tantas pessoas.

ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys