“Ir até que um dia Chegue enfim Em que o sol derreta A cera até o fim...”*
De: Ediney Santana

Sempre sonho que estou voando. Ao contrário do Padre traído pela fé, nos meus sonhos não preciso de balões e nem de fé no impossível.
Voo livre como um deus feito para a glória de si mesmo. Ao acordar me sinto cansado, meu mundo está como sempre no mesmo lugar, rotina sufocante, prazer sem motivação.
Tomo meu campari ( sem gelo, com limão), aparece o medo, conflitos na fé que tenho no gênero humano.
Não pense que sou passivo, que deixo a vida me levar: Gosto de correr riscos. Sonhar é bom, viver é correr riscos ou nas palavras do professor Macalé “ viver é deslizar no perigo”( Macalé o meu amigo, não o outro mais famoso), viver neste constante conflito com o animado e o inanimado, ser feto e criança feliz dessa vida incosa, mas doce .
Sem os riscos pouco sou além de uma criança sonhando em voar com balões soprados por uma fé em coisas que não existem.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br

* Sonho de Icaro autoria:Pisca / Claudio Rabello

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys