Mulheres quase minhas
De: Ediney Santana

Meu gosto pelas mulheres vai além de uma questão puramente heterossexual, carnívora de fome constante por corpos maravilhosos e deliciosos.
Gosto de mulheres e suas vozes vibrantes como as de Cássia Eller, Piaf,Paula Toler e sua fixação por fantasmas nos quartos.
De todas as mulheres há um tipo que adoro são as damas da noite e seus corpos paraíso dos famigerados, iletrados, vândalos da carne, ricos deprimidos. Como boêmio sempre cruzo com essas colegas de aventuras e desventuras madrugeuiras, cada um em seu pedaço de agonia no sub-mundo santamarense.
A mulher como perdição e salvação de poderosos, como salvação e perdição de si mesmas, mulheres infelizes, alegres, parideiras, secas, fáceis - difíceis. Mulheres comuns e incomuns, saltitantes e dedicadas ao mundo, mulheres maus, escravas, puritanas, cantoras.
Adoro a voz feminina e suave de Elba Ramalho, a agressividade de Marines e Sua Gente, o canto desperdiçado de Margarete Menezes, minha doce Joan Baez, amo a voz mais linda da música popular brasileira deste início de século: RITA RIBEIRO.
Gosto de mulheres ao volante, só um mulher tocando violão é mais lindo que uma mulher ao volante. Mulher dirigindo de vestido é mais lindo ainda.
Mulher policial, traficante, dona de casa, mulher lesbica livre amando a quem quer. Há nomes lindos como: Renata, Cássia, Paula, Gabriela, Letícia, e tantos outros.
Mulher que se apaixona e perde a cabeça, corta a cabeça de quem ama, mulher infeliz, mulher feliz, mulher amiga e inimiga. Os clichês femininos: “mulher que só fala mal de outra mulher” “ mulher que trepa com um pensando em outros”
Fico com o Roger “olha sei lá, olha eu não sei, eu gosto é mulher” carnavais do mundo todo, mundo em chamas, mundo feminino, mundo sem senhores, mas repleto de senhoras.
Creio que não haja alma feminina, há sim é gente feminina e não importa se tem entre as pernas um pau ou uma xoxota, gente feminina de braços com o tempo, aberto ao sentimento, gente feminina sem entraves no coração, sem preconceitos na alma. Gente feminina que devora tudo e a todos sem cerimônia. Ardendo em chamas só de lembra de tantas mulheres que nunca tive como Claudia Cardinale( na foto acima) e esse sorriso eternamente sedutor.
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys