“Por isso essa força estranha”
De: Ediney Santana

Eu me vi correndo pelas ruas da minha cidade adotiva. Vi outros meninos rindo de mim quando tropeçava, mas sempre continuava. Em minha corrida, para fins tão sem muito chegar e até mesmo partidas eu ia como quem não sabe do lado silêncio da vida.
Uma força estranha me dizia: Ney, vai ser grande pela vida, ser grande era conseguir a figurinha número oito do álbum do Tio Maneco.
Eu vejo o menino parado enquanto o tempo prepara armadilhas vulneráveis a felicidade.
...
Depois dos trinta anos: dedos, ranhuras e lástimas menores são possíveis. Assim entre deus e o diabo me vou pela delicadeza de não ser.
Todo mundo pode ser feliz desde que não viva em coração alheio, não recite receitas estúpidas de felicidade. Deus está em ti.

...
Se algum dia eu me for tão em seu coração que esqueça do meu, me prometa que vai me dizer adeus sem medo da minhas lágrimas infantis.
Valentim é um filme tão bonito, feito para mim por um irmão argentino. Tudo que ali está é para mim.
...
“Eu só tenho um caminho/ eu não estou sozinho” “Não posso ficar nesse lugar comum” Alguém canta para mim, na minha madrugada fria. Só digo que tenho presa, a vida é urgente e a morte uma senhora paciente.

...
Não há nada além do que meus olhos dizem: Existem!!
Os dias são tão insossos, no entanto uma “força estranha me leva a cantar”, uma força estanha me diz o que posso ser. Por isso essa paixão pela vida, por isso, o tempo sempre a me fazer grávido de outra criança.
Eu vi um fantasma dizendo: Você é bonito, eu vi o tempo dizendo... Essa força estranha a me faz feliz.
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys