“É melhor cair das nuvens que cair do 3º andar"#
De: Ediney Santana


“Alice no país das maravilhas” foi escrito por Charles Lutwidge Dodson em 1864 a pedido de sua irmã Alice Pleasance Liddell que na época tinha apenas dez anos e adorava as histórias que o irmão contava.
“Maravilhoso feiticeiro de Oz” foi escrito por Lyman Frank Baum. Em maio de 1900. O Mágico de Oz, como é mais conhecido, conta às aventuras da pequena Dorothy por um mundo de máximo realismo.
As duas heroínas das histórias, Alice e Dorathy, têm muito em comum. As duas vivem de maneira rotineira, presas a uma realidade sem muita possibilidade de mudança, atadas a previsibilidade de cada dia.
Há um diálogo não intencional entre as duas histórias (observemos a época na qual foram escritas) Há muitas semelhanças entre Alice Dorathy e a vida de cada uma. Para fugir da repetição do dia dia tanto Alice como Dorathy usam a I.M.A.G.I.N.A.Ç.Ã.O e a C.R.I.A.T.I.V.I.D.A.D.E.
Alice cria para si uma realidade lúdica. Ao cair em um buraco encontra um novo mundo, cheio de seres fantástico que mudam radicalmente a percepção da realidade a qual ela vivia.
Dorathy e levada por um vendaval para o mundo de Oz e lá encontra uma realidade totalmente diferente da sua. Um mundo de seres encantados, bruxas más e um mágico poderoso.
O mundo de OZ e o País das Maravilhas só existem na imaginação de cada uma das meninas, mas é esse poder inventivo, de criar e inovar o que nos interessa neste momento.
Apenas aceitando a "realidade" não podemos vencer o mundo rotineiro que aí está. (Isso simplesmente porque a realidade que enfrentamos no dia dia não foi criada por nós,ao contrário , nos é imposta das mais notáveis maneiras) No entanto a natureza nos armou com uma arma poderosíssima: a capacidade de inventar,criar e destruir. Durante anos a humanidade inventou suas fugas e cada um de nós tem essa capacidade criativa de fazer surgir de mundos rotineiros outros mundos cheios de desafios. Não são os desafios que podem nos vencer, ou nos destruir. O que pode devastar nossa capacidade de criar é a rotina.
Os mitos, as crenças e as lendas são maneiras ou formas de fugas da rotina, da repetição das emoções, de certa forma um alento para perdermos o medo estabelecido.
A fuga sugerida em o Mágico de Oz e em Alice no País das Maravilhas nada tem de covardia. Imaginar, provocar, buscar uma nova realidade é também desafiar e enfrentar a rotina, repetição, previsibilidade, a padronização dos sonhos e crenças.
Lembra das histórias infantis que ouvíamos na escola? Dos desenhos animados? O que todas tinham em comum? Todas buscavam despertar em nós a imaginação e a criatividade. Despertar e preservar em nós a capacidade de nos reinventarmos a cada dia, de olharmos o mundo com múltiplas leituras e perspectivas.
Por que hoje, já adultos, quando falamos das grandezas da vida que queremos para nós, sempre somos chamados de sonhadores, acusados de vivermos fora da realidade? Porque o mundo adulto é o mundo da castração, da competição, do consumismo, das necessidades criadas para nós e não do que realmente necessitamos. No mundo adulto não há espaço, dizem, para quem sonha.
Mas acredite, é melhor sonhar acordado que dormindo. Foi o sonho que nos fez inventar aviões, garfos e talheres, computador e goma de mascar. Foi a criatividade que nos levou a transformar o milho em pipoca, a carroça em carro.
Assim como Alice e Dorathy um dia ao voltarmos para casa, depois de muitas descobertas notamos que nem os que deixamos e nem nós, somos mais os mesmos... E que valeu a pena ter realmente vivido!!!
ediney-santana@bol.com.br
htt://edineysantana.zip.net
# O títulos desse texto é uma frase de Machado de Assis

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys