"Escrevo-te esta carta meu amor"#
De: Ediney Santana

Não sei qual nome você vai ter. Talvez Ernesto, Renata ou Erundina. Não sei a cor dos teus olhos, dos teus cabelos. Se você vai gostar de política ou se vai ser um pastor ou uma freira.
Há uma música de Caetano Veloso que diz: “toda maneira de amar vale a pena”. Também acredito nisso. Então já te amo incondicionalmente, não me importando o que você vai ser ou que você já é.
Saiba que esses dias tem sido difíceis para mim, estou sem emprego, sem muito animo e sem paz agradável de espírito.
Não se preocupe ,quando você chegar o mundo vai estar melhor, minhas dores já estarão mais distantes.
O bom da vida são suas contradições: há o nascimento e a morte, há o amor e o ódio. No domingo todo mundo fica como quem comprou roupa nova.
Ernesto Guevara em carta aos filhos disse que não deixava nada para eles porque o Estado garantiria a sobrevivência de todos. Infelizmente o Estado Brasileiro tem sido governado (com algumas exceções) por quadrilhas bem organizadas ligadas as máfias internacionais. Por isso ,acredito mais na nossa força de trabalho do que na autoridade do Estado. Eu não sei o que vou deixar para você, mas não se preocupe algo de bom você vai herdar. Sei que tua vida será grande. Torna-te grande. Ama-te mais que eu me amei, não deixe o coração flutuar entre paixões. Mas se quiser se apaixone, faço o que quiser. Você é livre.
Nasci em uma terra distante, talvez esteja nesse lugar, neste canto do mundo para poder te encontrar, para poder abraçar você.
Hoje sei que não estou mais sozinho no mundo, que tenho alguém, que alguém me tem. Hoje sei que nunca mais vou dizer que volto para casa sozinho. Lá em nossa casa, em nossa cama você a me esperar.
Temos a sombra e a luz, a primavera e o outono. Vivemos em um bairro empobrecido pelos homens, violentado pelos homens, um bairro em que a juventude quase não tem chances de crescer e se crescer ter a felicidade distante. Tenho medo, muito medo dos homens. Eles usam revolveres e a língua para fazerem o mal.
Vem em paz, vem comigo, vamos juntos andar por aí. Vem para os meus braços. Meu amor, meu profundo amor, minha profunda alegria, minha paixão, vem com tua vida fazer ciranda na minha, vem com tua juventude mudar minha vida.
Eu te abraço, te alegro e espero você na primavera dos nossos dias .
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net
# Titulo da música “ A Carta” composição de Benil Santos/Raul Sampaio. Gravada por Erasmo Carlos

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys