Em nome do Senhor



É inegável que os evangélicos hoje constituem uma poderosa e bem articulada força religiosa no país.
A igreja Católica afundada cada vez mais em um medievalismo sem razão aparente e tendo como guia o conservador Bento XVI não consegue para suas fileiras novos adeptos e ainda perde os que têm para os evangélicos.
Há muito não somos mais um país católico, além da religião romana, somos um povo espírita, candomblezero, budista e é claro protestante. Sem falar em uma outra centena de pequenas religiões que ajudaram a transformar o brasileiro em um dos povos mais místicos do mundo.
O protestantismo encontrou no país um terreno fértil para se expandir. Nas camadas mais pobres e excluídas das ações positivas do poder público, o protestantismo recruta todos os anos milhares de seguidores para o seu poderoso exercito.
Donos de redes de rádio e TVs, que nem sempre estão a serviço do Senhor, os protestantes sabem como atuar em todos esses meios de comunicação de massa para fortalecer seus “negócios” os quais envolvem a fé e milhões de reais que vão para suas contas sem pagar um centavo de impostos.
Se no passado a Igreja Católica cobrava indulgências para aliviar o pecado dos seus fiéis e garantir-lhe o reino dos céus, hoje os protestantes cobram pesados dízimos que vão assegurar o reino da terra para os seus clientes da fé.
A meta no protestantismo não ir para o céu simplesmente, antes aqui terra, deve construir seu reino o qual sem vergonha alguma se pode juntar tesouros e ficar rico. Atitude teológica que faria Cristo corar de vergonha, já que ele mesmo foi parar na cruz por não aceitar os tesouros do mundo.
Todos os dias na TV podemos assistir cenas nas quais são apresentados enriquecimentos de pessoas que desafiam a astúcia capitalista de um Adam Smith ou curas impossíveis, todas atribuídas ao Espírito Santo do Senhor com a interferência do pastor “homem de Deus”, mas uma vez aqui os protestantes recriam o mito católico de que para se chegar aos céus e ter com Deus é necessários pessoas ungidas pelo Espírito do Senhor, no passado Bispos e padres,hoje pastores.
Na visão protestante Deus deve ser desafiado, questionado e os fiéis devem fazer sacrifícios, ou seja, provar o tamanho de sua fé com o tamanho da sua oferta. Seja lá como for dentre em breve chegaremos a uma nova ordem religiosa no Brasil com poder suficiente para interferir em todos os movimentos da sociedade, mas não devemos nos preocupar, os evangélicos ao contrário dos católicos puritanos aceitam nas suas fileiras poetas loucos ou atrizes pornôs desde que façam o sacrifício e não deixem faltar mantimento na casa do Senhor.
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net/
,

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys