Mais uma vez: Grato!


Professor Anchieta Ney 
A solidariedade de uma pessoa para outra independente do que é ou represente essa pessoa, ao menos para mim, é a única possibilidade de amor sincero.
Um dia por insistência de minha mãe e provocação do amigo Del prestei vestibular para Letras no Campus Avançado da UFES/Santo Amaro. Fui aprovado e entrei naquele mundo estranho e distante até então para mim.
Lá encontrei uma pessoa que faria toda diferença em minha vida, essa pessoa foi o professor Anchieta Nery.
Durante quase todo o curso o professor Anchieta lecionou Literatura Brasileira, ao contrário de muitos  professores da universidade, Anchieta Nery não queria formar acadêmicos, queria nos tornar professores, nos preparava para a dura realidade que iriamos encontrar na sala de aula.
Um dia ao chegar ao Campus ele pediu alguns versos meus para futura publicação de um livro, dois anos depois saiu o “Até que eternidade nos una”. Naquele dia o professor Anchieta sem saber me ofereceu uma grande prova de que eu era capaz de publicar um livro: a confiança.
Confiava no meu talento, confiava ele que eu saberia fazer o melhor possível com as portas que ali ele abria ,dizia para mim naquele momento que um professor podia apontar caminhos decisivos para seus alunos.
Sem confiança pouco podemos, pouco fazemos, por mais que talento eu tivesse sem a solidariedade do professor Anchieta eu não publicaria livro algum, sem suas aulas simples e objetivas eu não teria conseguido entender literatura para ensinar como ensino .
 É a confiança a base para que nossos sonhos sejam plantados e novos caminhos percorridos, sozinhos poucos somos.
Ao professor Anchieta Nery minha sincera alegria por ter aprendido com ele  a maior lição que um professor pode passar a um aluno: não perder nunca o entusiasmo e o encanto com e para o mundo.
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys