Pular para o conteúdo principal

O capitalismo é foda


O capitalismo é imbatível: cria e destrói mitos ou impede que eles surjam. É simples: dois garotos têm uma banda de garagem, um produtor escuta uma demo, leva para uma gravadora, convida um jornalista e BUM!!! Sucesso, todos os jornais vão falar deles, o vocalista é temperado com crises depressivas, leitor de clássicos latinos e fala mil e seiscentos idiomas, mas vive trancado em seu apartamento cercado de livros e tédio. Um milhão de CDS vendidos, cinco anos depois como ninguém mais lembrava dele, o seu “muy” amigo e ex-produtor sugere que ele se mate, então em uma manhã de domingo: plantão da Globo: morre no Rio de Janeiro, (porque todo mundo que se preza e é famoso deve morar e morrer no RIO!!!) O cantor RR Toares de aguda falta de que fazer.
Quando tudo isso acontece à gravadora dona da obra do defunto ri-se que uma beleza. Encomenda milhares de cópias dos CDS mais vendidos,descobre-se fitas com raríssimas gravações feitas no banheiro pelo próprio defunto, musicas pouco comerciais, mil publicações sobre a vida oculta do astro, o parceiro remanescente entra na justiça para ficar com parte da grana do falecido.
Por último o cadáver é sequestrado por uma horda de órfãos - fãs, o corpo é levado para a Amazônia e será cultuado como um novo pajé sem alma, por isso mesmo não pode morrer novamente, tudo transmitido ao vivo e narrado pela voz melosa de um Pedro Bilau da vida.
O capitalismo é imbatível. Enquanto isso na Paraíba Zé da Viola tenta grava seu primeiro disco aos noventa anos de idade. Aí o capitalismo faz um show especial. Um professor de universitário leva Zé para o estúdio, Zé vira astro entre os universitários, Zé é descoberto por um bundão decadente cantor inglês, Zé troca o nome par Clays Del Mins e vende milhares de discos. O capitalismo é imbatível
http://edineysantana.zip.net/
ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

“Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José”

A internet tem tirado do limbo muitos artistas que foram solenemente ignorados pela crítica e mídia ortodoxa ou pior, foram massacrados por uma estrutura midiática preconceituosa e elitista. Odair José foi um desses artistas que mesmo com uma importante obra foi deixado fora do que cretinamente chamam de MPB, essa sigla é a senha para que muitos artistas sejam desprezados e outros coroados como “gênios” e inquestionáveis. A internet nos faz olhar para o lado e ao olharmos para o lado encontramos um importante legado de inúmeros artistas, artistas que antes eram chamados de bregas, ou seja, inferiores culturalmente, politicamente, e não só isso, o público desses artistas também foi durante muitos anos marginalizados, tanto que muitas pessoas escondiam que gostavam deles. Curioso é que esse preconceito todo foi dogmatizado por gente supostamente progressista e defensores de causas nobres, gente que se diz sensível as nossas mais dolosas demandas sociais, mas aceitaram fazer parte da co…

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…