Pular para o conteúdo principal

Traição


A frase que, ao menos, para mim mais cruelmente define a traição foi dita por Júlio César, imperador romano assassinado em 15 de março de 44 a.C,pelos membros do senado do seu império. Seria mais um assassinato político, o qual a história está cheia de tristes exemplos se não fosse por uma frase dita por Júlio César momentos antes de tombar nos braços da morte: “Tu quoque, Brutus, fili mi!” (Até tu, Brutus, meu filho!). Marcus Julius Brutus era filho adotivo de Júlios César e foi ele quem articulou a conspiração contra o próprio pai. Júlio Cásar tentou se defender das 23 adagas assassinas que mortalmente iria feri-lo até que notou entre os seus carrascos seu próprio filho. Parou olhou e disse a frase histórica: "Até tu, Brutus” e sem resistir foi ao encontro da morte.
O nome de Brutus virou sinônimo de brutalidade, traição, humilhação e todas negativas que o ser humano “amigo” possa fazer com outro.
Naquele momento o qual morria tenho a certeza, Júlio César, um dos grandes conquistadores do mundo antigo, que um dia disse outra frase memorável ao expandir seu império “Veni vidi vici” – vim, vi e venci – sentiu uma dor mortal, nunca por ele imaginada: a dor da traição. A traição só acontece quando alguém de nossa extrema confiança usa de nossa sincera amizade para nos humilhar, derrotar ou conseguir assumir algo que temos. A nossa felicidade e conquistas aos olhos do traidor e algo a ser destruído, a arma usada para causar essa destruição é a confiança que temos por essas pessoas. A inveja e a traição são irmãs. O traidor pode ser aquele confidente, o amante secreto, o político que acreditamos solidários a nossa vida, o amigo o qual com alegria recebemos em nossa casa.
Somos enganados porque acreditamos, depositamos nossa confiança em outra pessoa e é o conjunto disso tudo que nos fragiliza, nos torna alvo fácil dos brutus modernos. Nada adianta o isolamento, nossa natureza humana nos impura para a convivência e solicitude com o outro, mas é preciso cuidado. Sei de muitos brutus doentes e mentirosas que estão por aí a arrebentarem com a vida dos seus “amigos” . Particularmente já fui vitima de tantas adagas nas costas que já estou calejado, mas tive sorte, ao contrário de Júlio César não tombei nos braços da morte e pude sempre começar uma nova história, sem perder a crença no gênero humano o qual é feito para e excelência de estarmos sempre aqui.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

“Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José”

A internet tem tirado do limbo muitos artistas que foram solenemente ignorados pela crítica e mídia ortodoxa ou pior, foram massacrados por uma estrutura midiática preconceituosa e elitista. Odair José foi um desses artistas que mesmo com uma importante obra foi deixado fora do que cretinamente chamam de MPB, essa sigla é a senha para que muitos artistas sejam desprezados e outros coroados como “gênios” e inquestionáveis. A internet nos faz olhar para o lado e ao olharmos para o lado encontramos um importante legado de inúmeros artistas, artistas que antes eram chamados de bregas, ou seja, inferiores culturalmente, politicamente, e não só isso, o público desses artistas também foi durante muitos anos marginalizados, tanto que muitas pessoas escondiam que gostavam deles. Curioso é que esse preconceito todo foi dogmatizado por gente supostamente progressista e defensores de causas nobres, gente que se diz sensível as nossas mais dolosas demandas sociais, mas aceitaram fazer parte da co…

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…