Pular para o conteúdo principal

INAPETENTE


Gosto de sexo, nunca fiz amor. Assim como Tiago de Melo, acredito que amor não se faz, no máximo se desfaz e que o grande verbo é trepar.
Amor se constrói no dia dia, sexo se faz a cada encontro não importando a afetividade ou cumplicidade, há muito o sexo deixou de ser algo íntimo entre duas pessoas.
Pode-se começar a gostar de alguém pela cama, mas também às vezes é por ela que começasse a desgostar.
O sexo coloca o amor na flor do corpo, nos gemidos, no ir r vir animal rasgado e sujo de uma cama, da língua na língua, do meter e tirar de dedos, do chupa chupa e quando tudo esfria, o amor, por mais romântico que seja, sente o baque.
Qual o tamanho do seu apetite sexual? Na adolescência quando ainda era virgem, morria de medo de morrer antes da primeira trepada, me masturbava cinco vezes ao dia, depois de uma revistinha ali uma olhada aqui fui me acalmando e o melhor não morrerei mais virgem.
Há quem jure ter um apetite sexual sem fim, há namoros e casamentos que terminam por falta e acredite por excesso de sexo. Tenho um amigo professor que largou a namorada por que a tarada queria trepar toda hora em qualquer lugar.
Gosto de sexo bem feito e sem pudores, mas não gosto de excessos desnecessários, excessos assim derrubam a qualidade, algo meio parecido como minhas masturbações adolescentes, os adolescentes de hoje não sabem mais o que é masturbação. Os vinte e poucos anos muitos já treparam tanto que acabam fazendo terapia para descobri o prazer de chu...parrrr um sorvete na praça, andar de mãos dadas e se emocionar ouvindo “Andreia Dória”
Em Santo Amaro não há bordéis oficiais, mas para quem gosta ,há inferninhos bem delinquentes, algo meio suor, cerveja e bundinhas oferecidas.
Se fosse possível voltar no tempo eu iria direto para Sodoma e Gomorra, fico imaginando esses dois templos da carne, do dar-se dar-se sem compromisso, terra sem lei, sem ordem, sem aspas.
Contudo fico aqui, na minha inapetência esperando a idade certa para viagrar meu “tomara que nunca caia”... êta nois nesse vandalismo sentimental .
http://edineysatana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…