Pular para o conteúdo principal

O teu bem não é o meu bem


“Eu sei o que é bom para você”. Não, não sabe. Uma vez adulto ninguém pode ser responsável pelo nosso bem, a responsabilidade pelas decisões que vão nortear uma vida adulta é uma questão individual, exceto casos os quais a pessoa esteja privada dos sentidos ou acometido de alguma doença degenerativa que tire dela o comando da própria vida.
Tua felicidade, minha vocação profissional não pode ser um padrão a ser seguido. Minha felicidade passa a ser um mal quando imposta como regra à outra pessoa. Claro que ouvir um conselho amigo é saudável e sempre bem vindo, não é isso que questiono, O que está em discussão é a liberdade de cada um de ser quem é.
Infelizmente a regra é padronizar. Assim temos as profissões da moda, o namorado da moda, além da cobrança de si ser “como nossos pais”, nesse caso surge os artistas da chama DNA music, pessoas sem talento algum, mas que aproveitam o sobrenome para ganhar uns trocados desencantado por aí. No cinema brasileiro, nas novelas há um batalhão de atores e atrizes sem talento algum os quais agarrados ao sobrenome vão ocupando espaços.
Há os que sem vergonha alguma dublam ser o que não são, investem em talento o qual nunca tiveram, mas há os que desejam ser professores quando a família empurra goela abaixo um diploma de direito, um outro deseja ser botânico quando a família inteirinha é militar desde os tempos de Caxias.
Assumir a própria vida não é fácil e se engana quem pensa ser isso uma questão de adolescentes, longe disso, há pessoas que passam à vida inteirinha infelizes por terem seguido por um caminho não idealizado por si mesmos.
Há também as questões políticas e sociais. Muitas famílias atravessam gerações sem nenhuma variação nas questões financeiras ou culturais, algumas dessas famílias são marcadas pelo flagelo político-social a seguirem as mesmas trágicas historias dos pais: venderem em um semáforo, não frenquentar escolas, viverem em locais de riscos, passarem à vida em branco, outras são eternamente donas do poder e de todos os meios de produção.
Seja lá como for, ousar, questionar, não se satisfazer como o bem aparente e tão pouco com o mal aparentemente invencível é essencial para nos guardar de uma vida recheada de frustrações e desejos nunca realizados... Em 2069 quase todos nós estaremos mortos, é urgente viver consigo mesmo na parceria solidária um do outro.
http://edineysantana.zip.net/
ediney-santana@bol.com.br

A obra que ilustra este artigo é de Joan Miró

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…