Minha Flor, meu Bebê







A emoção veio mansinha, veio e ficou calma, seu olhar é profundo e grave, tem algo de busca e objetividade.
Quando dormia sorrio, então vi o sol no seu rosto. Voltei para casa como quem pela primeira vez deixava algo de si para trás.
Desejo para ti, minha filha, o que quase todos os pais e mães desejam para seus filhos: luz, paz, vida e vida em alegria, doces encontros, poucas verdades definitivas e muitas buscas, um caminho leve pelas esquinas do mundo.
Quero ver-te luz no teu próprio dia, paz da tua alma, leveza da tua essência, riso puro como o milagre da flor a acolher a abelha e da abelha e nos oferecer o mel.
Quero ver-te no milagre da chuva e das quatro estações, na pureza de ser e si permitir amiga, porque a vida é colorida, mágica, mas nem sempre leve e muitas vezes vai contar com teus amigos para suportá-la e teus amigos também esperarão por ti.
Quero para ti a alegria de uma brisa a varrer as ruas em busca de uma folhazinha para em seus braços enamora-la e coragem para enfrentar as tempestades que transformam inocentes brisas em furações.
Coragem para não vacilar quando olhar ao seu redor e se sentir sozinha, força para não desistir quando a noite parecer longa demais, quero por ti a leveza qual para mim sempre faltou, mas nunca desistir de busca-la.
A poesia do mundo se manifesta de muitas maneiras: na dor, na alegria, na vida e na morte. Essa poesia nos permite escrever nossa história, desejo a você minha filha que escreva tua própria história sobre os versos da tua poesia pessoal.
Deixo para ti meu amor, minha emoção e meu coração que contigo ficou menos sozinho.
Ps- as fotos acima são da minha filha Renata Maria, nascida em 09 de outubro de 2009
ediney-santana@bol.com.br
http://edineysantana.zip.net/































Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys