A palavra é: PENSAR!!!!!!


Que não há um pensamento claro sobre o que é esse gigante meio delinquente, puritano e belíssimo chamado Brasil me parece obvio. Tentar explicar o Brasil através das nossas inquietações de quase expatriados é trabalho para gente como Darcy Ribeiro ou um Gilberto Freire, não para mim que entendo o Brasil como um ópio generalizado de todas as sacanagens globais.
Você já percebeu que da alma mais simples a mais academicistas sempre há um “repensar” algo? Talvez esteja aí à desgraça, usa-se pouca criatividade, imaginação e enforca-se a alma latina do brasileiro em medonhas gambiarras sociologistas.
Você adora um programa de TV e acha o seu apresentador o cara mais inteligente do mundo e de repente descobre que ele não passa de um feto mal formado na indústria do copiatês que é a TV brasileira, seu adorável apresentador é tão somente uma cópia de algo velho e requentado nos Estados Unidos, liga a TV é fica chocado com Tom Jobim pagando pau para um Frank Sinatra qualquer e o pior descobre que a Bossa Nova teve que aprender inglês porque os gringos acham nossa língua coisa de bárbaro e, além disso, teve que ganhar toques de “sofisticação” jazzística para parece mais universal que o nosso sambinha do dia dia... gambiarra, gambiarra...
A maioria dos nossos doutores das universidades vão estudar na Europa ou nos Estados Unidos para chegarem à genial conclusão que somos um povo único no mundo, somos o país da adversidade, nossos doutores se trancam dentro das universidades olham pela janela o povo a passar como se fossem baratas pré-históricas.
Eu não quero re-pensar porra alguma, me arrisco no meu pensamento popular, o risco é meu, o gozo é meu... engolir a seco a velha cantilena de que somos um povo único não é comigo, somos um país de ódios e muitos, o sul do país se sente mais digno que o norte- nordeste, o homem e mulher do litoral nordestino olha para o Brasil sertanejo com desprezo...
Tome gambiarras e comidas requentadas, aqui Platão é ainda debatido seriamente quando o que ele pensou já está ultrapassado, se discute se foi Pedro Álvares Cabral que descobriu o Brasil enquanto há hoje todo um país a ser desbravado sociologicamente, culturalmente...
Enquanto isso o estúpido do Caetano Veloso, que utilmente faz mais sucesso pelas besteiras que diz do que pelas músicas que compõe, se permitiu ser porta voz de toda elite de merda do país ao preconceituosamente chamar o presidente de analfabeto, logo Caetano Veloso filho de um simples carteiro com uma simplicíssima dona de casa.
Gambiarras... gambiarras...viva o Brasil do brega de Taroba, lá por alguns trocados qualquer um pode ser feliz por alguns minutos.
http://edineysantana.zip.net/
ediney-santana@bol.com.br
As fotografias que ilustram esse artigo são do programa do Jô e do programa o qual o Jô copia da TV norte americana apresentado por David Letterman


Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys