Pular para o conteúdo principal

Agiota Oficial do Brasil

No início do ano tomei de empréstimo no Banco do Brasil R$ 1000,00 reais, mas tive a infelicidade de perder o emprego e amargar oito meses sem trabalho o que era R$ 1000,00 virou mais de R$ 2000,00.
Assim que voltei a trabalhar, há exatos dois meses, fui ao banco e renegociei minha divida, parcelei em sete prestações de R$ 365,00 reais, não me preocupei com os juros, queria apenas pagar o que devia, mas para minha surpresa ao depositar R$ 500,00 reais em minha conta não tive troco o banco cobrou além dos juros inúmeras taxas. Me senti roubado, humilhado por um banco público que deveria justamente dá o bom exemplo e não se igualar a tantos outros bancos agiotas.
O Banco do Brasil não pertence ao povo desse país, isso é conversa fiada, pertence ao Estado brasileiro que rouba e saqueia não só os sonhos do povo, mas o bolso. Há os canalhas que roubam nosso dinheiro com seus esquemas de corrupção e há bancos que saqueiam cidadão de bem.
Para onde vai tanto dinheiro? Alguém já viu a prestação de contas de um Banco Público? Que destino é dado ao lucro formidável do Banco do Brasil?
Estou de saco cheio dessa gente vendida como santos pela pena de marqueteiros, essa gente que não nos respeita.
País agiota, mutilador de sonhos, governo cretino. Os famigerados times de futebol do Brasil deram o calote na previdência social e o que faz o governo? Cria uma loteria só para eles, as empreiteiras não recolhem INSS e o que faz o governo? Empresta nosso dinheiro através do BNDS, empréstimo que nunca serão pagos.
Quanto mais se é honesto neste país, mas se é roubado, descartado e jogado na vala comum dos otários de plantão permanente.
Espertas são elas as empreiteiras que roubam, superfaturam obras públicas e explodem metrôs e matam como aconteceu em São Paulo, espertos são eles, os santinhos do poder, que de longe dos seus gabinetes dizem que temos uma vida feliz.
Mil pragas a esses miseráveis de ambição sem limites, aos economistas do governo que criam essas misérias para sangrar, sangrar ao máximo o pouco que temos.
Mil pragas ao congresso nacional que não faz porra nenhum para nos ajudar, mil pragas ao presidente, não queremos suas esmolas sociais, queremos emprego de verdade, inclusão de verdade.
Sei que em nada via adiantar o que escrevo aqui, se não pagar minha dívida vou para o SPC OU SERASA e não conseguirei crédito algum nem para comprar um pacote de amendoim para matar a fome.
Mesmo assim... Mil pragas aos senhores estômagos de todos os governos, tomara que quanto estiverem jantando seus pratos nobres se engasguem e morram...miseráveis.
Pior que os bandidos de rua é a delinquência oficial do governo... Agradeço a solidariedade dos funcionários da agência do banco do Brasil da minha cidade, os funcionários das agências também sofrem ganhando um salário minúsculo diante aos lucros extraordinários dos banqueiros, lucros roubado do nosso trabalho.
O banqueiro agiota do Banco do Brasil é o governo... Reclamar com quem? Essa canalha federal é muda e surda para o óbvio: são eles nossos terroristas e assassinos que burocraticamente nos envenena os sonhos e nos leva a alegria de acreditar que um dia esse país será um país livres dessa corja, em verdade o Brasil é um grande país administrado por homens e mulheres menores.
http://edineysantana.zip.net
poesiaeguerra.blogspot.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…