Pular para o conteúdo principal

Agiota Oficial do Brasil

No início do ano tomei de empréstimo no Banco do Brasil R$ 1000,00 reais, mas tive a infelicidade de perder o emprego e amargar oito meses sem trabalho o que era R$ 1000,00 virou mais de R$ 2000,00.
Assim que voltei a trabalhar, há exatos dois meses, fui ao banco e renegociei minha divida, parcelei em sete prestações de R$ 365,00 reais, não me preocupei com os juros, queria apenas pagar o que devia, mas para minha surpresa ao depositar R$ 500,00 reais em minha conta não tive troco o banco cobrou além dos juros inúmeras taxas. Me senti roubado, humilhado por um banco público que deveria justamente dá o bom exemplo e não se igualar a tantos outros bancos agiotas.
O Banco do Brasil não pertence ao povo desse país, isso é conversa fiada, pertence ao Estado brasileiro que rouba e saqueia não só os sonhos do povo, mas o bolso. Há os canalhas que roubam nosso dinheiro com seus esquemas de corrupção e há bancos que saqueiam cidadão de bem.
Para onde vai tanto dinheiro? Alguém já viu a prestação de contas de um Banco Público? Que destino é dado ao lucro formidável do Banco do Brasil?
Estou de saco cheio dessa gente vendida como santos pela pena de marqueteiros, essa gente que não nos respeita.
País agiota, mutilador de sonhos, governo cretino. Os famigerados times de futebol do Brasil deram o calote na previdência social e o que faz o governo? Cria uma loteria só para eles, as empreiteiras não recolhem INSS e o que faz o governo? Empresta nosso dinheiro através do BNDS, empréstimo que nunca serão pagos.
Quanto mais se é honesto neste país, mas se é roubado, descartado e jogado na vala comum dos otários de plantão permanente.
Espertas são elas as empreiteiras que roubam, superfaturam obras públicas e explodem metrôs e matam como aconteceu em São Paulo, espertos são eles, os santinhos do poder, que de longe dos seus gabinetes dizem que temos uma vida feliz.
Mil pragas a esses miseráveis de ambição sem limites, aos economistas do governo que criam essas misérias para sangrar, sangrar ao máximo o pouco que temos.
Mil pragas ao congresso nacional que não faz porra nenhum para nos ajudar, mil pragas ao presidente, não queremos suas esmolas sociais, queremos emprego de verdade, inclusão de verdade.
Sei que em nada via adiantar o que escrevo aqui, se não pagar minha dívida vou para o SPC OU SERASA e não conseguirei crédito algum nem para comprar um pacote de amendoim para matar a fome.
Mesmo assim... Mil pragas aos senhores estômagos de todos os governos, tomara que quanto estiverem jantando seus pratos nobres se engasguem e morram...miseráveis.
Pior que os bandidos de rua é a delinquência oficial do governo... Agradeço a solidariedade dos funcionários da agência do banco do Brasil da minha cidade, os funcionários das agências também sofrem ganhando um salário minúsculo diante aos lucros extraordinários dos banqueiros, lucros roubado do nosso trabalho.
O banqueiro agiota do Banco do Brasil é o governo... Reclamar com quem? Essa canalha federal é muda e surda para o óbvio: são eles nossos terroristas e assassinos que burocraticamente nos envenena os sonhos e nos leva a alegria de acreditar que um dia esse país será um país livres dessa corja, em verdade o Brasil é um grande país administrado por homens e mulheres menores.
http://edineysantana.zip.net
poesiaeguerra.blogspot.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

"A felicidade é uma arma quente”

Eu que nunca saio do meu lugar exílio, imagino como o mundo deve ser lindo. Estou tão fantasma em Santo Amaro que me considero um prisioneiro condenado a devorar-me sem piedade e pouco a pouco ir morrendo de tantas angústias que não há sol a iluminar tanta escuridão.
Você descobre que está ficando para trás quando todos da sua geração foram embora. Quando esses seus amigos voltam à cidade e você só fala com eles do passado é sinal também que a amizade já era, ficou presa em algum lugar desse mesmo passado. Nem eles e nem você cabem mais na vida um do outro.
Acostumar-se com migalhas de felicidade, com aparente segurança da rotina é um passo certo para pararmos no tempo, para voltado às pequenas coisas nos tornamos bobos de uma corte morta há tempos.
Torna-se um monumento não é bom, se isso acontece quer dizer que mesmo você estando vivo, todos vão considerá-lo morto. Tenho a impressão que a natureza só mata alguém quando esse alguém já não interfere nem para o bem nem para o mal na vida…

Carta para daqui a 50 anos

Hoje é sábado, 29 de junho de 2013, São Pedro, últimos dos santos juninos, aqui perto em São Francisco, vai ter show “grátis” do Chiclete com Banana, claro que não vou, tem gente em excesso de suposta felicidade e acho um saco tanta gente feliz junta por quase nada, não que eu seja triste, mas a minha felicidade repousa na linha do horizonte, não se resume a uma multidão insana pulando e gritando: “chicle...tê!!!! Em 2063, o maior plano é tá vivo, curtindo minha velhice e ouvindo as histórias da minha filha, ler essa carta nem que seja com uma lupa daquelas de Sherlock Holmes, talvez olhe para uma foto minha de hoje e diga: elementar, meu caro, tudo no fim deu certo. Não pense, eu de hoje, que meu sonho é só envelhecer, há o recheio, como de um sanduíche que comi certa vez e daria para alimentar um uma fila inteirinha de pau de arara, pau de arara eram caminhões que certamente devem ter levado muita gente minha para São Paulo, gente que por lá trabalhou duro e morreu da mais profunda…

Como é viver com ódio?

A internet parece ter sido transformada na vitrine do ódio. Sempre encontro bons vídeos e sites na internet com conteúdo interessante e instrutivo, mas esses sites e vídeos têm baixíssimas visualizações, por outro lado sites e vídeos com conteúdo de ódio ou violência têm milhares de acessos. Canais de políticos que não tem nada de proativo ou ideias criativas e práticas, mas explodem de ódio batem recordes de seguidores que expõe ódio, violência verbal e ameaças.   Parece ser um estado permanente de ódio, seja religioso, sexual, político ou cultural, nada escapa ao ódio. Algumas manifestações de ódio são abertas ou diretas, outras são disfarçadas de altruístas, mas todas têm como objetivo neutralizar qualquer voz dissonante dos que esses furiosos ambidestros pretendem. No mundo da violência emocional odeia-se por um único motivo: não há no mundo espaço para concepções socais diferentes das quais a ambidestra cavaleira do ódio defende.   O ódio emburrece, torna bruto corações e mentes…