Constrangedor “bom dias”


Ainda tenho a estranha mania de chegar aos lugares e: “bom dia”, “boa tarde” ou “boa noite”, mas pouco a pouco essa mania estranha vai dando lugar ao constrangimento, já que quase ninguém responde mais ao que deveria ser uma demonstração não só de educação mais também de gentileza.
Gentileza? Educação? Ta maluco oh! Dom Quixote do muinho de vento perdido. Você estende a mão para alguém e já espera a mordia, abraça e prepare-se pode levar uma punhalada nas costas.
Augusto dos Anjos, por favor:

“O Homem, que, nesta terra miserável, Mora, entre feras, sente inevitávelNecessidade de também ser fera”.

E se mesmo assim o romantismo for mais forte que a realidade mais um pouco de Augusto dos Anjos:

“O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja.”

Estamos sendo educados para a desconfiança, nossos mestres são: a violência, estupidez, perda da dignidade humana, a ética não comprovada na prática, falta de solidariedade e bandidos como referência de uma sociedade a deriva.
Começamos nos negando um aparente e simples aperto de mão ou “bom dia” e terminamos em uma antropofagia bisonha e sem gozo. Vou por aí fazendo minha parte e esperando não perder o entusiasmo com meus pares... Afinal nada mais delicioso e maravilhoso do que gente, do que ser gente... Ao menos por enquanto.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br



Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys