A paixão nossa de cada dia

Não tenho a menor dúvida: o sentimento a nos mover nas mais diferentes empreitadas por essa doida aventura do viver é a paixão!!!!
A paixão tomou conta do espírito aventureiro de Ernesto Guevara e o fez largar tudo na recém conquistada Cuba para ir de encontro à morte nas selvas colombianas, mas nos deixou um fabuloso exemplo de desprendimento e vocação para um mundo cosmopolita sem donos ou fronteiras.
A paixão pela fé, política e amor de Jesus Cristo o levou a cruz ainda muito jovem, mas deixou com sua utopia de unir política, amor e fé uma das maiores religiões do mundo, o cristianismo.
A paixão de Moisés o fez liderar uma multidão pelo deserto em busca de uma terra prometida nunca encontrada, mas com seus Dez Mandamentos deixou alguns fundamentos para o que um dia seria a ciência jurídica.
A paixão do Senador Cristóvão Buarque em defesa da educação pública nos faz ainda acreditar em um outro Brasil possível, um Brasil sem o analfabetismo programado e articulado na farsa de uma democracia inexistente.
A paixão de Martinho Lutero pala Igreja Católica que sem querer a dividiu em milhares de tantas outras religiões.
A paixão de Cazuza o levou a brigar com a morte até os instantes finais de sua vida, deixando para todos um exemplo inesquecível de coragem e honestidade com o que sempre acreditou: viver a vida.
A paixão poética de Torquato Neto o levou sem medo ao suicídio deixando para trás uma promissora carreira literária. Morreu afogado nos seus medos e desejos, não viu seus amigos tropicalistas ganharem o mundo com ideias que ele também ajudou a esboçar.
A paixão de Renato Russo pela autodestruição o fez reeditar toda morbidez da 2º geração romântica e sem medo foi ao encontro da morte recusando-se a seguir o tratamento contra a Aids, mas demonstrou desapego e coragem para deixar a vida e segundo ele mesmo “ir para um lugar melhor, porque aqui não sou feliz”, coragem para trocar a dor concreta por uma felicidade imaginária.
A paixão de Francisco de Assis, homem santo pelo mundo. Seu amor a natureza antecipou em muito o que hoje é o ambientalismo e os estudos sobre a ecologia.
A paixão de Lula pelo poder o transformou em um monstro de vaidade e egoísmo.
A paixão de Jim Morrison, que nunca quis ser cantor, o levou a França e lá está enterrado entre alguns gênios da literatura.
A paixão de Patativa do Assaré pela sua aldeia o fez ao lado de Luiz Gonzaga lendas do povo de todos os sertões. Há glória maior para um ser humano além de ser uma lenda?
É a paixão a nos faz todos os dias desenhar planos, buscar certezas e sempre trocar de esperança toda vez que ela se torne um asqueroso urubu, a paixão mata e nos constrói, vida e razão na badala irregular nessa caminhada do viver.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys