Pular para o conteúdo principal

Aborto: a questão é?

O Congresso Nacional deveria ser lugar da representatividade de toda sociedade, mas não é isso que ocorre na prática. Ele está dividido em facções e cada uma dessas facções advoga de acordo com seus interesses e muitíssimas vezes ignoram os anseios da sociedade.
Há no Congresso, por exemplo, facções evangélicas, católicas, espíritas as quais arbitrariamente sem consultar a sociedade decidem sozinhas sobre questões complexas como o aborto.
O aborto é uma grave questão de saúde pública, todos os anos dezenas de mulheres morrem em clinicas clandestinas ou até mesmo em suas casas ao tentarem abortar, por isso mesmo um debate como esse não pode ocorrer sobre o prisma do conservadorismo religioso.
Há nisso tudo também outra questão, que é a Legal, o Estado brasileiro é laico e nas decisões que vão gerir os rumos do governo e o nosso não cabe a pena do achismo religioso, toda sociedade dever ser ouvida e creio que em um tema graves e complexo como o aborto o ideal é um plebiscito.
O governo falha quando não consegue implantar nas escolas públicas a educação sexual e planejamento familiar. Há muitos anos lecionei em uma escola na cidade de Saubara-Ba, essa cidade fica no entorno da baía de Todos os Santos, é lá tentei realizar aulas de educação sexual, não passei da segunda tentativa, alguns religiosos acharam que era pecado, coisa que Deus não aprova em uma escola.
A situação é extremamente grave e é claro a parte mais sensível a tudo isso são as mulheres e temos aí uma questão prática política, são as mulheres que no Brasil decidem os vencedores de uma eleição e se a questão é política creio: chegou a hora delas fazerem valer o peso de seus votos e participarem mais diretamente da vida pública do país.
Em meio a tudo isso o governo do estado não faz campanhas ostensivas na prevenção contra DSTS ou gravidez indesejada e é essa gente que opina sobre os rumos da vida de tantas outras pessoas.
http://cartasmentirosas.blogspot.com
ediney-santana@bol.com.br




Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…