Envelhecer

Quando criança pensava que os velhos já nasciam velhos e as crianças seriam para sempre crianças.
Quando abri e fechei os olhos lá já estava quase adulto e boa parte dos velhos conhecidos já haviam morrido.
É estranho alguém vive 70, 80 anos e depois de sua morte é como se nunca tivesse existido.
Outro delírio de criança: só os pais dos outros é que morriam o meu era eterno, Deus nos escolhera para ser a família eterna a repovoar sempre o mundo. Perdi meu pai quando tinha apenas 16 anos e ele 42 anos de idade.
Agora observo minha geração envelhecendo, outro dia olhando para o escritor Herculano Neto notei que sua barba e cabelo já estão quase todos os fios brancos, mas creio que ele anda pintando alguns fiapos de cabelo para disfarçar.
Encontrei um amigo, o Cristiano, não o via há muito, falamos durante um bom tempo só sobre coisas do passado, creio quando isso acontece é porque a amizade não está mais no presente, o tempo envelhecer e congela algumas pessoas lá longe no lugar no qual a barba do poeta Jorge Bóris ainda eram pretas.
A velhice chega sem notarmos e não amarela só os planos se não tomarmos cuidado vai levando pouco a pouco o animo para novas conquistas.
Porra é essa Ney? Você ainda não tem nem 40 anos, vai tomar sol, sai dessa biblioteca que depois da Marta Medeiros todo mundo é ela, mesmo quando não é porra!!! Vai trepar bem gostoso com uma gatinha bem safadinha, devora sorvete de acerola, escovar os dentes, andar de bicicleta e compra um Batom Garoto no bar de Salvador.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br




Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys