“O homem é a medida de todas as coisas”

Platão foi um sujeito impa na antiguidade clássica, pensou muito, criou sua “academia”, o embrião para o que hoje chamamos universidade, além disso, esboçou teorias tanto quanto comunistas quanto burguesas, mesmo antes de existir a burguesia e tão pouco o comunismo como o conhecemos hoje.
No ideal de república pensado por Platão não cabem poetas, porque segundo ele poetas são seres perniciosos e sem confiança.
Nas relações amorosas o nosso filósofo pregava o amor livre. É minha filha, ninguém é de ninguém desde os tempos do Cavalo de Troia, mas como tudo não é perfeito, os casais só ficariam juntos depois de escolhidos os pares em um sorteio feito pelo Estado e mais quando tivessem filhos o Estado assumiria a paternidade e nuca mais os pais veriam seus rebentos.
E para temperar isso tudo Platão dividiu sua república em três núcleos: gente comum (simbolizadas pelo ferro e cobre), soldados (simbolizados pela prata) e os guardiões (simbolizados pelo ouro). Gostou? Lembrou de que? Se para Platão ninguém é de ninguém, já deu para perceber o quanto à originalidade também não é de ninguém, a história está cheia de castas políticas, no nosso Brasil isso ocorre desde os tempos de Cabral, mas é tão bem disfarçado pelo riso sem por que, suor e cerveja que quase ninguém percebe e se percebe prefere seguir Xuxa no Twitter.
E como se tudo isso não bastasse Platão ainda censurou a música, o Estado decidira qual música dever-se-ia ou não ouvir, qual música seria boa para a alma e qual só causaria discórdia entre os espíritos e a República.
Muito das ideias de Platão estão por aí até hoje.
Amor livre = igual a movimento hippie, produção independe, “então ta combinado é somente sexo e amizade” ** “vamos ficar não amar, vamos fazer sexo e não amor”
República= igual a quase todos os governos do mundo.
O Estado gerenciando a vida das pessoas = comunismo, social democracia, socialismo, totalitarismo.
Platônico= ideais, utopias, mundo, teoricamente, só possível na imaginação.
Se os poetas eram maus visto por Platão as mulheres em sua República poderiam chegar a guardiãs, isso porque Platão teve uma genial ideia entre tantas que teve: todas as pessoas, independente de sexo ou classe social, deveriam ter acesso a uma educação de qualidade, o Estado deveria cuidar de todas as crianças de maneira igualitária, tudo porque não seria possível dizer em qual mente vive um gênio.
Três coisas boas tiramos do modelo de república de Platão: primeira, educação igualitária e de qualidade para todas as classes sociais, segundo a valorização da mulher como parte importante dentro do Estado e terceiro a própria ideia de Utopia. Só por isso eu já olho Platão com mais carinho, mesmo sabendo o quanto poetas e sujeitos como eu não eram bem vistos em sua república.
http://edineysantana.zip.net
ediney-santana@bol.com.br
*Frase atribuída a Platão
**Peninha

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys