Pular para o conteúdo principal

“Minha fé me faz um homem de aço” *

Quando Roberto Carlos perdeu para o câncer sua esposa um reporte perguntou-lhe se ele ainda acreditava
que a fé removia montanhas.
Resposta do Roberto:
“A fé não remove montanhas, mas ajuda contorná-las”. Resposta cheia de maturidade emocional para um homem de coração tão cheio de misticismos. Escrevo isso porque crer no sobrenatural é não ter pouso no racional, a fé desafia a racionalidade, se confrontada com o que nos ensinam ser racional ou ela ou esse tal de racionalismo cai por terra.
Ser ateu não é o mesmo que não ter fé, o ateu nega estruturas religiosas e seus deuses absurdos, forjados mais por razões políticas e econômicas do que pela necessidade puramente mística, por tudo isso o ateu nega religiões e não a fé em algo possível de atuar em nossas vidas.
A fé puramente humana, sem misticismos, na qual a vida por si só se resolve, essa fé é a crença única dos ateus.
Fé religiosa é aquela na qual a vida por si só não tem sentido e por isso mesmo busca na crença das divindades razões para se fortalecer. Essa é a fé dos religiosos, a fé de Roberto Carlos.
As religiões de um modo geral têm forte apelo comercial e controle social, fazem parte das estratégicas de manutenção de poder de inúmeros grupos políticos, a crença em um deus é apenas uma ideia coadjuvante para esconder suas reais intenções.
Como disse “de um modo em geral”, mas, não como um todo. Há pequenas religiões, que creio são sinceras em suas crenças, realmente buscam fazer valer sentido de algo divino dentro de suas verdades, mas elas são exceções no mundo das religiões S/A.
O ministério da cultural vai gastar mais de meio milhão de reais para restaurar a Igreja da Purificação aqui em Santo Amaro-Ba, Igreja que é uma instituição Italiana, embora oficialmente pertença ao Estado do Vaticano, ao lado da mesma Igreja há o hospital da Santa Casa que atende a população carente da cidade, quer dizer atendia, pois desde o ano passado vem gradativamente entrando em estado de falência aos olhos dos governos os quais não fazem nada para reverter à situação.
Restaurar uma instituição privada parece para o governo salutar, garantir o lugar de penitência do povo, o mesmo povo que vai sempre precisar da extrema-unção dos padres para os seus mortos falecidos por falta de médicos os quais Estado deveria ter assegurado assistência.
No entanto não podemos confundir, fé com religião. Religião é clube, são corporações que advogam um deus para cada uma, fé você pode ter e criar, cultivar como bem entende, em sua casa ter seu altar, na lua ou nas moedas de prata da Grécia Antiga ou se possível em nada.
Fato é que conviver só em si não é fácil. Freud certa vez escreveu que Deus é uma necessidade e se ele não existisse nós o criaríamos, como de fato , creio, acabamos por criá-lo... Sem intolerância cada um cultiva a crença ou não no deus que em seu coração melhor cantar ou não.
Ps- Desejo encontrar abrigo no coração de um bom deus ou deusa, mas que não seja os mesmo os quais tanta gente má diz crer.
* Frase de Roberto Carlos 



Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…