Pular para o conteúdo principal

A impunidade é um incentivo a violência

Não é a pobreza que gera violência, a pobreza por sua vez não é algo natural ou geográfico, ninguém nasce pobre por acaso. A pobreza tal como a conhecemos é fruto de delinquentes ações políticas.
A pobreza pode levar ao flagelo e a miséria humana, um miserável por sua vez é um impotente diante de si e do mundo o qual é nada além do que um melancólico observador.
Sendo assim a violência não é fruto de um bairro empobrecido, um bairro é violento não por sua pobreza é violento pela ausência de ações políticas coordenadas (educação, cultura, lazer-esporte, saúde e segurança). Não raro a única ação do Estado em comunidades empobrecidas é o braço armado e violento da polícia a qual geralmente confunde pessoas empobrecidas com bandidos.
A polícia combate os sintomas da violência, mas não tem “competência” ou autonomia para enfrentar as causas. O ideal é uma polícia inteligente e não temida, combate radical a corrupção em toda corporação policial, unificação da policia civil-militar e o quase impossível: despolitização partidária das corporações, combate aos narco-politicos que através de partidos políticos agem livremente na cooptação de agentes públicos no judiciário, ministério público e polícias.
Reformar nosso código penal e toda estrutura política se faz mais que urgente, o problema é o braço do narco-crime dentro do poder político do país que transforma muitos políticos em narco-politicos e é claro a mudança de postura do próprio povo que negocia o futuro em troca de algumas migalhas neste triste e ardido presente.
Cada novo presídio construído me diz o quanto o Estado é presumidamente incompetente para enfrentar o crime organizado. Não há formação ética nas escolas nem tão pouco uma justa e real distribuição de renda, geração de emprego, tratamento público e gratuito a dependentes químicos, tratar esses dependentes como caso de saúde será que é tão difícil? O endurecimento contra crimes contra a vida e contra o próprio Estado já seria um bom começo.
Se nada resolver que tal uma batida policial em algumas coberturas de luxo do complexo de Copacabana, Ipanema, complexo do Morumbi e complexo do Litoral Norte, Complexo do Lago Norte em Brasília, Complexo das Esplanadas dos Ministérios.
Os moradores dos bairros da Rocinha, da Liberdade, da Parada de Lucas, do Jardim Santo Ângelo, do Bairro da Mangueira ficariam muito, muitíssimos gratos.
Ps- Texto escrito ao som de “Selvagem” dos Paralamas do Sucesso.





Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…