Pular para o conteúdo principal

*Adoráveis personagens reais

Em sua cidade certamente há personagens maravilhosos, personagens reais que bem poderiam ter saltado de um livro escrito por Miguel de Cervantes, personagens os quais têm os corações quase intocáveis pela maldade.
Na minha cidade entre tantas figuras memoráveis há o adorável “Cascatinha”. Sempre simpático... Lá vai ele pelas ruas com seus passos rápidos em um leve balançar do seu corpo franzino. Suas conversas giram sempre em torno de futebol, locutor em uma rádio FM, todos os dias acorda a cidade com suas notícias futebolística.
Além de uma figura simpaticíssima “Cascatinha” é filho do grande historiador Pedro Tomaz Pedreira que dedicou sua vida a pesquisar sobre a história de Santo Amaro e outras da cidade do Recôncavo da Bahia, seus memoráveis trabalhos como historiador foram publicados pelo Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e já merecem uma segunda edição.
Toda cidade tem seus personagens simples e simpáticos que acabam virando folclóricos, ou seja, entrando para história como entidade cultural no imaginário do povo, personagens que se olhados de longe causam estranheza, mas quando olhamos bem de perto encontramos seres humanos maravilhosos, desapegados, não buscam poder ou glória, riqueza ou visibilidade. Esses personagens simplesmente existem, constroem a si mesmos em particularíssimos mundos e não sabemos ao certo se são tristes ao alegres.
Lembro na minha infância conheci o velho Perna de Pau, um homem negro de uma perna só que gostava, digamos, de falar “filosoficamente” sobre a própria morte, Perna de Pau fez linha direta anos depois quando fui trabalhar em São Sebastião com outro homem negro de uma perna só que todos os dias pegava a mesma van que eu, ao contrário de Velho Perna de Pau, esse gostava de falar sacanagens.
Em Mundo Novo conheci Licuri, um sujeito baixinho, hoje perto dos seus oitenta anos de idade, bebia e bebe como um louco. Eventual coveiro no cemitério da Barra (distrito de Mundo Novo) e brigão irrecuperável um dia deram uma “foiçada” em sua cabeça e lhe tiraram um pedaço do crânio.
Confirmando a história que coveiro demora a morrer, se não fosse pelo pedaço da cabeça arrancada Licuri chegaria aos seus oitenta anos inteiro. Dizem que até hoje Licuri guarda o pedaço da cabeça arrancada em uma lata.
Todos esses personagens têm algo em comum, em maior ou menor grau são seres quase inocentes, vivem como se fossem D. Quixotes em um mundo no qual os moinhos de vento são realmente gigantes toscos e maldosos.
Quais são os personagens inesquecíveis da tua cidade?
Texto escrito ao som da voz de Ana Alcaide.
* Na foto “Cascatinha”





Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…