Por que o amor acaba?

Acaba quando a emoção do beijo não acontece mais, quando o tesão de juntos descobrirmos coisas ficou para trás.
Quando tudo já é previsível, quando a vida é transformada em uma disputa.
O amor acaba quando o riso futilizado não nos diz mais nada , quando não há mais poesia no toque, o cheiro já não provoca desejos, quando nos tornamos mais amigos que amantes, quando o respeito perde para a liberdade de vivermos algo que no outro é pura dor.
O amor acaba quando os olhares ficam vagos, quando o sexo é mecânico, na hora da refeição o silêncio e a frieza pairam como uma nuvem negra.
O amor acaba quando não renasce todos os dias, quando passa a ser um exercício diário de tolerância, acaba quando o coração não bate mais feliz quando o outro segura nossas mãos, quando a curiosidade foi vencida pelo tédio das horas sempre iguais.
O amor acaba quando não nos sentimentos mais parte de uma história que embora tenhamos também escrito nos sentimos coadjuvantes.
O amor acaba quando agradáveis conversas passam a ser terapia, quando nós somos sempre o ideal e o erro é sempre o outro.
O amor acaba quando fingimos orgasmos, preferimos a solitária masturbação no banheiro que o afeto do outro em nossa cama a dormir no silêncio do abandono dos nossos desejos.
O amor acaba quando um beijo de novela nos comove mais que qualquer abraço, quando não há mais abraços.
Tudo finda, tudo acaba, mas o primeiro sentimento a arrumar as malas quando todas nossas tentativas de convivência harmoniosa com a vida fracassam é o amor.
ediney-santana@hotmail.com
http://edineysantana.zip.net/
PS- Escrito ao som de “Inverno no meu tempo” de Cartola e Roberto Nascimento, na voz de Cartola.



Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys