Caio Fernando, o que? Abreu?

Caio Fernando Abreu é um escritor de fácil leitura, mas difícil compreensão. Sua prosa sem firulas semânticas cria a falsa sensação de que  ele  está sempre a mão de qualquer leitor de citações ou frases em parachoque de caminhão. Leitores de citações são um perigo, lêem o mínimo e julgam o máximo.
De uns tempos prá cá tenho notado em muitos blogs frases atribuídas ao Caio, tenho certeza que muitas delas nunca foram escritas por ele, porque se fossem da sua autoria ele não seria Caio Fernando Abreu, seria apenas uma alma medíocre sonhando com o encanto humano e com amores salvadores do tédio, enfim seria um chato.
Sei que muita gente não faz por mal, mas poderiam conferir fontes, ler os livros e no caso do Caio nem são tantos assim. Isso evitaria distorcer a obra de um escritor maravilhoso e é claro respeitá-lo como pessoa que dedicou a vida a deixar um legado literário profundo e corajoso.
Não é só o Caio Fernando Abreu que é vítima das infames citações que esquartejam o significado real de sua obra, na festa dos horrores da literatura medíocre uma escritora como Clarice Lispector é transformada em um Dalai Lama sem noção, tão sem noção que faria a Clarice perder seu sotaque ucraniano-recifense.
É pouco? E o que dizer de Shakespeare? Charlie Chaplin? Transformados em um padre santificado pela chatice que troca cartas com um amigo tão canastrão quanto ele e vende milhões de exemplares para leitores canastrões?
O Ctrl t e Ctrl z é a nossa competentíssima máquina de reproduzir idiotas em série. Reafirmo: checar fonte, fazer referência, ler os livros, entrevistas é uma maneira de não se desrespeitar quem por vezes amamos, mas não se tem o cuidado que se deve ter nessa relação amor e arte mais informação.
Transformar um Caio Fernando Abreu em um idiota chega ser constrangedor sabendo que isso parte de pessoas que tem acesso a cultura e informação ou você acha mesmo que ele escreveu frases como: “A sua felicidade só depende de você, tenha fé, tudo que você quer vai conseguir”. Acho que não.
Ps- Escrito ao som do grupo vocal Ladysmith Black Mambazo







Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys