Pular para o conteúdo principal

Estamos juntos, porém separados

Sim!!! te amo!!! Mas não use minha escova de dentes, nem entre no banheiro quando eu estiver sem que te peça, não vou cortar os cabelos só porque você acha mais bonito, não vou comprar aquele vestido de rendas tão somente porque você sente tesão em me ver vestida com roupas de rendas, vamos ao cinema hoje, quando voltarmos pode ficar no bar, volto para casa sozinho, não grila não, não tenho amantes reais ou virtuais é tudo amigo, traição virtual é traição?
Feijão com arroz sou eu e você feitos um para o outro, até que a vizinha ou o Face Book nos separe, amo você, te amava mais quando você pintava o cabelo de negro, mas tudo bem, homem é homem de qualquer jeito.
Segura minhas mãos, mas não aperta não, dormi contigo é tão bom, nossa casa, nosso ninho de amor, isso quando sua mãe não aprece, hoje vou sair com o professor de farmácia, tudo bem se fosse de literatura você não iria de jeito algum, esse povo de letras adora o verbo do macho alheio, você tem ciúmes até de minhas cuecas.
Quero ir ao Egito, subir nas pirâmides e gritar lá do alto que você é o bem da minha vida, só até às seis da tarde, porque às sete vou para o trabalho, estou menstruada, enjoada sem chance para sexo, vamos dormir, vem cá eu não ligo não.
Hoje é o dia dos anos de nossas vidas juntas, deixe de bobagem já estamos juntos por tantas vidas, a crença é sua, só queria um abraço nesta vida, acabou o gás, compre você, tem certeza que gosta ainda de mim? Empresta-me cem reais? Claro te amo como amo a Camila Pitanga.
Bem que hoje poderíamos ir a um motel, que acha? Hoje tem jogo do “Baêa”, amanhã meu macho tarado juro que iremos um motelzinho bem legalzinho, “bora” “Baêa”!!!!
Comprei essas calcinhas para você, novamente de rendas? Adoro rendas, ta bem deixa em cima da cama, teu corpo é tão gostoso, sinto vontade de te banhar com minha língua. Chupar sua boceta com todo tesão do mundo, senta aqui no meu colo, deixa meus dedos tocarem você, essa sua blusa de alcinha branca me deixa louco, estou com dor de cabeça e deprimida hoje não rola.
Hoje tem show da Violeta de Outono, vamos? Vamos sim meu bem, compramos garrafas de vinho e depois vamos ao Rio Vermelho, jóia, você é a melhor mulher do mundo, somos quase irmãos, mas bem que às vezes poderíamos brincar de médico, trepar no carro como fazíamos quando nos conhecemos.
Perdi o emprego, nem para isso você presta, não consegue ficar empregada, vai para onde? Embora, trouxe flores para você, são lindas, estou lendo “Como preservar o namoro e chegar ao casamento”, soube que a autora desse livro foi jogada pelo marido do 10º andar, depois de ter apanhado dele durante os dez anos em que  namoraram.
Olha não leve a mal, mas quero ser feliz, ser feliz com advogados é impossível, o Zequinha motoboy me faz bem, sorri para mim e ainda ler meus poemas, vou morar com ele, se você for eu me suicido, tá, mas atira na boca, não há como errar.
Domingo e eu aqui com Silvio Santos, meu deus só falta a Araci de Almeida aparecer dizendo que pior que calouro do Silvo Santos sou eu casada com o mesmo homem há trinta anos sem nunca sentir um orgasmo, quero colo, biscoitos de leite e um copo de formicida.
Sem você não sei viver, somos almas Jane e Herondy: “não se vá/ não me abandone, por favor,”. Sim eu te amo, hoje é domingo e entre eu e você só o tédio, entre eu você há uma ponte cor de rosa cheia de flores amarelas e azuis, eu te amo, como amo meu namorado virtual, como amo minha professora do primário, não se vá, não posso ir porque acho que nunca estive aqui.
ediney-santana@hotmail.com
http://edineysantana.zip.net/

















Postagens mais visitadas deste blog

"A felicidade é uma arma quente”

Eu que nunca saio do meu lugar exílio, imagino como o mundo deve ser lindo. Estou tão fantasma em Santo Amaro que me considero um prisioneiro condenado a devorar-me sem piedade e pouco a pouco ir morrendo de tantas angústias que não há sol a iluminar tanta escuridão.
Você descobre que está ficando para trás quando todos da sua geração foram embora. Quando esses seus amigos voltam à cidade e você só fala com eles do passado é sinal também que a amizade já era, ficou presa em algum lugar desse mesmo passado. Nem eles e nem você cabem mais na vida um do outro.
Acostumar-se com migalhas de felicidade, com aparente segurança da rotina é um passo certo para pararmos no tempo, para voltado às pequenas coisas nos tornamos bobos de uma corte morta há tempos.
Torna-se um monumento não é bom, se isso acontece quer dizer que mesmo você estando vivo, todos vão considerá-lo morto. Tenho a impressão que a natureza só mata alguém quando esse alguém já não interfere nem para o bem nem para o mal na vida…

Carta para daqui a 50 anos

Hoje é sábado, 29 de junho de 2013, São Pedro, últimos dos santos juninos, aqui perto em São Francisco, vai ter show “grátis” do Chiclete com Banana, claro que não vou, tem gente em excesso de suposta felicidade e acho um saco tanta gente feliz junta por quase nada, não que eu seja triste, mas a minha felicidade repousa na linha do horizonte, não se resume a uma multidão insana pulando e gritando: “chicle...tê!!!! Em 2063, o maior plano é tá vivo, curtindo minha velhice e ouvindo as histórias da minha filha, ler essa carta nem que seja com uma lupa daquelas de Sherlock Holmes, talvez olhe para uma foto minha de hoje e diga: elementar, meu caro, tudo no fim deu certo. Não pense, eu de hoje, que meu sonho é só envelhecer, há o recheio, como de um sanduíche que comi certa vez e daria para alimentar um uma fila inteirinha de pau de arara, pau de arara eram caminhões que certamente devem ter levado muita gente minha para São Paulo, gente que por lá trabalhou duro e morreu da mais profunda…

Como é viver com ódio?

A internet parece ter sido transformada na vitrine do ódio. Sempre encontro bons vídeos e sites na internet com conteúdo interessante e instrutivo, mas esses sites e vídeos têm baixíssimas visualizações, por outro lado sites e vídeos com conteúdo de ódio ou violência têm milhares de acessos. Canais de políticos que não tem nada de proativo ou ideias criativas e práticas, mas explodem de ódio batem recordes de seguidores que expõe ódio, violência verbal e ameaças.   Parece ser um estado permanente de ódio, seja religioso, sexual, político ou cultural, nada escapa ao ódio. Algumas manifestações de ódio são abertas ou diretas, outras são disfarçadas de altruístas, mas todas têm como objetivo neutralizar qualquer voz dissonante dos que esses furiosos ambidestros pretendem. No mundo da violência emocional odeia-se por um único motivo: não há no mundo espaço para concepções socais diferentes das quais a ambidestra cavaleira do ódio defende.   O ódio emburrece, torna bruto corações e mentes…