Pular para o conteúdo principal

Palavra é foda!!!

Minha mãe sempre diz que peixe morre é pela boca, mas come também e como come. Tenho observado a carência das pessoas, como meia dúzia de palavras ou um poeminha seboso faz com que muita gente entregue o cartão do banco com senha ou pule de uma ponte para provar que ama o dito ou a dita cuja.
Cruz credo. O mesmo e velho canalha de sempre jura que ama os pobres e oprimidos, desde que eles continuem pobres e oprimidos, é o herói do povo, o povão não resiste a uma boa cafungada na orelha, nada como mentir com elegância.
Mentira, tenho certeza que ouvir mentiras é tão viciante quanto contá-las. Manuel Bandeira um dos poucos poetas brasileiros já dizia há quase um século: dane-se o lirismo com hora marcada, que estava farto do comodismo e das palavras certas nas horas sempre “incertas”.
Manuel Bandeira estava certo.
Quero as palavras erradas nas horas erradas, ninguém entende mais de mim que eu mesmo e há quem busque em tuberculosos corações entender suas próprias dores, gente doente, gente perigosa.
Quero a alegria dos infiéis que vão a noite trepar no cemitério, do poema imundo e sujo de Ferreira Gullar, quero Dias Gomes mijando na cara saco-plásticos dos autores de teatros canastrões.
Adriana Calcanhotto!!! Também estou farto dos bons modos, leio José Martí e como ele também sou um homem sincero e antes de morrer quero cantar meus versos de alma.
Foda-se Dilma, Lula, Zé Dirceu e FHC, todas moribundas figuras de um país que me dá náuseas, Dane-se a copa do mundo, foda-se a seleção, meu patriotismo não está em chuteiras, pobre povo de coração raso em que a alegria se resume na merda de um gol.
Como Gibran Khalil Gibran não troco as tristezas do meu coração por alegria embriagada de marketing e propaganda do mundo. Minhas dores e alegrias são sinceras, sinto-as com paixão na solidão das minhas noites honestas.
Comoção ao por do sol, morre as margaridas, homens corações imundos festejam suas desgraças sobre os copos passivos de suas escravas, dane-se palavras elegantes, não há elegância em um país que festeja a misérias e a ignorância.
Mergulho no corpo de Lima Barreto, genial escritor convenientemente esquecido nas penumbras das bibliotecas, te saúdo meu irmão Lima, te canto até o meu último momento.
Das minhas veias jorram sangue urtiga, sou das caatingas do nordeste, um dia meu sangue cruzou com o de Lampião poeta e justiceiro dos povos esquecidos.
Não há beleza neste mar azul da Baía de Todos os Santos, tão suja águas de histórias infindas. Gritam nos ônibus coletivos negreiros trabalhadores-escravos pelas ruas da Bahia, singular Bahia como um mãe anêmica a amamentar seu filho.
Palavras e palavras: Canta o governador, o prefeito e o diabo suas glórias sobre os nossos corpos amarelos de medo.  Palavras bonitas feiticeiras como anjos em orquestras no 5 º dos infernos.
Deito ao azul celeste do meu tempo. Sá há o Deus tempo, nado nu nesta areia ácida, deixo meu corpo nu sobe o teu ventre de todo mundo, não sou escritor, sou um falso escritor, não sei de ficção, ferve minha cabeça inundada de palavras, soltas, montanha russa em mel e azedo amor.
Sou doente, patologia da palavra é a minha doença, rasgo a língua no arame enferrujado que é esse teu amor mentiroso, cretino e vadio.
Não me seduz cartas de amor, nem fotografia previsíveis, traga meu Cantina da Serra, é sábado, dia de encontrar velhos amigos no Bistrô, me deixem dormir...
Todos os demônios e anjos sirvam-se do meu corpo, Mãe preta e dos os bons espíritos de coração me ilumine o caminho, Mãe preta cobre o meu corpo quando meus braços frios estiveram em tempo de palavra alguma.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…