Pular para o conteúdo principal

O gênio esquecido


Alfredo Oliani (1906- 1988) nasceu, viveu e morreu em São Paulo São Paulo, Foi um notável escultor, mas suas obras mais importantes não estão em um museu, estão no cemitério de São Paulo.
Como notamos pelo período do seu nascimento e morte Oliani foi testemunha de inúmeros movimentos de vanguarda, da Semana de Arte Moderna ao Tropicalismo, embora não esteja ligado, ao menos diretamente ou para historiográfica oficial, a nenhum deles
Oliani notabilizou-se pela arte fúnebre, suas magníficas esculturas fogem do senso comum artístico e transforma uma simples sepultura em um estado de êxtase artístico, por isso mesmo penso que alguns desses trabalhos deveriam ficar em um museu protegido, por outro lado expostas em um cemitério são vistas por milhares de pessoas, e dado a grandeza das obras não há dor que torne suas presenças ali indiferentes, embora isso não signifique contemplação já que na maioria das vezes a dor leva as pessoas aos cemitérios e não a arte.
Mesmo sendo um artista espetacular, obras Alfredo Oliani parecem esquecidas ou renegadas ao plano do mero decorativo e podem algumas serem encontradas até mesmo no Mercado Livre, como é o caso da belíssima Funeral Do Herói, que só não comprei por obvies problemas financeiros, meus é claro.
Não pense que as obras de Alfredo Oliani são sombrias ou carregadas de dor, não são: Sensualidade, nudez, sedução feminina e beijos ardentes fazem parte da maioria das suas obras, parece que Oliani queria transformar a morte em um espetáculo de vida, através da sua arte deixou marcas de vida no lugar em que tudo sugere morte.
A arte tumular, como é chamada esse seguimento de artes para cemitérios, é riquíssima no Brasil, mas talvez o preconceito e falta de informação afaste as pessoas de contemplar  sem receios o que de melhor temos em esculturas e construções espalhados pelos cemitérios do país, na Europa muitos cemitérios são visitados como museus ao céus aberto como o Père Lachaise que é um dos pontos turísticos mais visitados da França, no Brasil além do preconceito, a arte tumular não tem mais o vigor de antes, ela também registra o apogeu e queda das famílias mais ricas e requintadas do país, hoje tudo se resume a uma pequena lápide ou uma insossa cerimônia de cremação.
QUIS PULUIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.
Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar.
PS- Este blog não permite comentários, se o leitor tiver algum interesse profissional-literário ou cultural pode escrever para: ediney-santana@hotmail.com, ediney-santana@bol.com.br, visitar http://edineysantana.zip.net









Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…