Pular para o conteúdo principal

"Vícios impróprios"

Sua capacidade para cálculos e lógica o levou  a trabalhar para o serviço britânico de inteligência durante a 2ª guerra mundial, mas isso não fez com que o governo do seu país tivesse por ele algum tipo de consideração humana.
foi julgado e condenado por “vícios impróprios” ,ou seja, homossexualismo, obrigado a tomar hormônios femininos, seus seios cresceram, com vergonha isolou-se, amargou terrível angústia, pouco era visto ou falava com alguém, cansado de tantas humilhações e perseguições colocou em uma maçã cianeto e entregou seu corpo a morte. Seu nome? Alan Mathison Turing.
Alan Turing  nasceu na Inglaterra no dia 23 de junho de 1912 e suicidou-se em 7 de julho de 1954. Foi um notável cientista da computação e nos deixou contribuições espetaculares para que hoje todos pudessem ter acesso à informação e cultura via meios digitais.
Turing inventou o sistema que possibilitou a criação do Colossus, computado embrião do que seria mais tarde o computador de mesa, o chamado PC, criado por Steve Jobs e seu amigo Steve Worzniak, ao criar o primeiro computador pessoal, o Apple I, Steve Jobs e Worzniak, iniciaram uma revolução sem precedentes, uma nova era Gutemberguiana na qual o papel digital nos abria uma estrada aparentemente sem fronteiras ou barreiras culturais. 
Aos 24 anos quando criou sua máquina para análise de dados Turing deixava para a humanidade uma contribuição espetacular que mudaria não só nossas relações de trabalho como também pessoais.
O Colossus foi utilizado para criptografar códigos alemães secretos que eram produzidos através de outra máquina que tinha o sugestivo nome de Enigma, o desafio de Turing e sua equipe era fazer com que o Colossus “pensasse” cada vez mais rápido para conseguir Interceptar e entender os códigos dos Enigmas que mudavam com frequência.
Steve Jobs, morto esta semana, era um misto de inventor, gênio e astro Pop por tudo isso sua morte  causou  comoção. Ao criar a Apple, Jobs escolheu para marca da empresa uma maçã mordida, assim ele homenageava Alan Turing por quem tinha respeito e reverência, Turing não viveu na época da informação de massa informatizada e virtual, isso fez com que sua importância e vida trágica passassem quase despercebida, Jobs foi fruto e um dos pais dessa época de vida exposta e comunicação rápida e isso o fez pop e mundialmente conhecido.
Dois caminhos, dois homens que ajudaram a definir os rumos das nossas relações interpessoais e de trabalho, um morreu tragicamente envenenado por algo mais que uma maçã com cianeto, outro tragicamente fatigado por uma doença que lhe devorou o corpo.
O calvário de Turing , o “câncer” que lhe devorou a vida foi social, nenhuma quimioterapia poderia ajudá-lo, caiu nos pés do pré-conceito e da estupidez, morreu sozinho no seu quarto, sem glória e atormentado, Jobs provou um pouco disso tudo quando foi demitido da Apple, sou própria empresa, mas viveu para ver sua glória pessoal.
Recentemente o governo inglês pediu desculpas formais pelo sofrimento causado a Turing, desculpas que não poderão ser aceitas ou recusadas por ele. Há muitas pessoas que são vítimas dos mais cruéis pré-conceitos, uns pelo seu sotaque, outra pela opção ou condição sexual, enfim de muitas maneiras e disfarces o pré-conceito se utiliza para fazer vítimas e destruir vidas.
Fecho os olhos e posso imaginar Turing sendo torturado, espancado, impedido de trabalhar, sem amigos ou amores, afundado em suas próprias paixões e sofrimentos,  mas o tempo celebra os sinceros de coração e todas às vezes que digitamos um texto, ligamos um computador celebramos a força criativa de muitos homens e mulheres que ajudaram na construção desse tempo no qual a terceira realidade nos encanta, contribuições que Alan Turing e Steve Jobs deram cada um há semeu muito obrigado.
* Na imagem que ilustra essa crônica podemos ver Alan Turing com uma maçã na mão.




Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…