Pular para o conteúdo principal

Madrugadas*

Amanhã será um lindo dia d’alegria possível, do abraço leve como nuvens ausentes de chuva no terraço dos meus sertões. Amanhã será um lindo dia da mais pura bondade. Eu me prometo o sol e se a chuva vier prometo andar pelas antigas ruas desse meu recôncavo e seus místicos mistérios.
Neste dia branco, fecho os olhos, cultivo estrelas no paraíso em que muitos vivem e poucos sentem, muitos olham, mas poucos conseguem ver as estrelas elétricas caídas na palma mão minha.
- É tempo de ir velho Jok, as montanhas azuis têm o encanto que sempre é. Tudo sempre está lá entre o azul, o tempo e o desejo de sempre ser, o ser que somos e naufragamos nestas tolas paixões.
Gosto de curtas metragens, cinema que leio nas resenhas do jornal A TARDE, nunca assistir um curta metragem no cinema, mas já li muitos e pela palavra imagino as cenas, consigo ser marujo, cangaceiro ou um personagem nas paragens do mundo esquecido.
Olhar-me no espelho e não me enxergar é como cair na fantasia de Mary W. Shelley. Ouço Diana e penso se há mesmo alguma paz para perdermos.
Fotografe seus momentos, porque seus momentos passam, mas suas fotografias amareladas ou não vão ficar. Mergulho na noite de mim, na plena escuridão, Deus me oferece flores... Quem ri por último ri sempre do pior.
Guarde sempre algum mistério, algum encanto, revelar-se por completo é o primeiro passo para a solidão sintética, aquela que nasce do seu cansaço por você mesmo.
Há os que têm o ideal de si e muitos loucos o ideal de ser coração de todos, morrem ilhados em seus corações terras ásperas e incertas para vida.
Estamos vivendo a ditadura da felicidade, do otimismo vendido em livrarias, dos sorrisos forçados... Todos têm o direito de ficar triste, de dizer que se está triste sem que por isso sejam tratados como criaturas inferiores entre essas hienas de  circo e pão mofado.
Gente é a soma de todas emoções e paixões, bondades e maldades. Gente que se diz sempre está feliz ou finge ser nega a sua própria condição de gente e passa a ser coisa, coisa alguma, algo intermediário entre o ser vivo e o ser morto.
Gosto de bala Juquinha, retirar o papel da bala é um suplício, sempre se chupa a bala Juquinha com papel e tudo, isso tem gosto de infância. Emoções mistas entre o papel e o doce.
Amanhã será um lindo dia? Não sei, mas hoje já é, o dia deve ser lindo hoje, branco ou azul hoje, canto para a paz que acontece agora, neste exato momento. O amanhã é tão distante, tão profundamente distante.
*Ps- Na foto eu durante uma crise de saúde em frangalhos, mas já estou melhor, meu rosto já ta quase de volta. Mary W. Shelley me prometeu isso ontem à noite depois de fazermos “amor”.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…