Pular para o conteúdo principal

Incapacidade de ser feliz

No dia dia, no trabalho ou na luta pela vida sempre observo pessoas que tem incapacidade de serem felizes, muitas vezes são pessoas bem sucedidas e outras vezes pessoas que se habituaram a uma vida triste e sem perspectiva.
Ser feliz não é o mesmo que ser alegre, alegria é algo passageiro, ora estamos alegres e ora tristes, mas a felicidade é algo maior, vem de dentro e nada pode tirá-la de nós, a felicidade supera os momentos de crises e tristezas.
O que acontece é que no Brasil há certo vício em alegria, uma urgência em sorrir e de contentamento rápido enquanto o estado profundo de felicidade é desprezado. Não importa muito a essência das coisas, nada-se na superfície dos sentimentos e nessa superfície deixa-se o melhor que alguém pode ter: a capacidade de ser feliz.
Na Bahia é constrangedora essa masturbação na falsa felicidade, um dos estados mais perigosos do país, com índices cruéis de homicídios e abandono social tem também um povo que parece incapaz de reagir e mesmo assim se diz alegre. Essa alegria mentirosa, fajuta e que agoniza na fila do SUS, das delegacias-necrotérios ou nos bancos das escolas públicas em que a ignorância é estampada nos sorrisos “faz de conta” não me diz absolutamente nada, sou feliz e isso esse falso sorriso da sociedade consumista e hipócrita não consegue embotar.
Claro que a alegria é um dos sentimentos mais prazerosos que temos, mas quando é algo espontâneo e não criado artificialmente para esconder nossa real condição enquanto pessoas, a tristeza que se disfarça de alegria é a mais perversa.
A alegria que incapacita para sentir a própria vida como ela é é uma alegria perversa porque tem como única finalidade nos deixar contentes com o “destino” que nos é oferecido e ainda ficarmos gratos aos carrascos por essa alegria azeda que faz transbordar das nossas faces sorrisos amarelos de medo.
Não tenho a menor duvida que neste país o crime é algo gratificante, em verdade qualquer criminoso aqui tem toda uma estrutura jurídica pronta para defendê-lo e inocentá-lo de seus crimes. O bem tem como parceiro quase sempre a solidão, o degredo e a morte inglória no esquecimento e tudo isso alarga o caminho para o sepultamento da felicidade e glorificação da alegria momentânea como área de escape para fuga diante tanta angústia e é aí que a própria vida deixa de ter importância, o norte para viver passa ser o estômago e não a consciência.
Ser feliz, chegar ao fim da vida e fazer um balanço de que valeu a pena viver, saber que você cumpriu o papel para qual assumiu responsabilidades, ter contentamento íntimo com você mesmo, olhar para sua família sentir orgulho dos filhos que tem, dos amigos que fez durante todos esses anos. Ser feliz é a realização pessoal do bem que desejamos para nós sem fazer de coração algum ponte para nossa felicidade pessoal.
Vivemos o tempo dos corações ilhas, das razões egoístas e das traças sociais que vão corroendo a todos em silêncio. Ter por si mesmo respeito é o primeiro passo para além de sermos alegres sermos também felizes, ter consigo mesmo respeito exige de nós também ter pelo outro igual sentimento.
Contatos: ediney-santana@bol.com.br ou http://edineysantana.zip.net







Postagens mais visitadas deste blog

“Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José”

A internet tem tirado do limbo muitos artistas que foram solenemente ignorados pela crítica e mídia ortodoxa ou pior, foram massacrados por uma estrutura midiática preconceituosa e elitista. Odair José foi um desses artistas que mesmo com uma importante obra foi deixado fora do que cretinamente chamam de MPB, essa sigla é a senha para que muitos artistas sejam desprezados e outros coroados como “gênios” e inquestionáveis. A internet nos faz olhar para o lado e ao olharmos para o lado encontramos um importante legado de inúmeros artistas, artistas que antes eram chamados de bregas, ou seja, inferiores culturalmente, politicamente, e não só isso, o público desses artistas também foi durante muitos anos marginalizados, tanto que muitas pessoas escondiam que gostavam deles. Curioso é que esse preconceito todo foi dogmatizado por gente supostamente progressista e defensores de causas nobres, gente que se diz sensível as nossas mais dolosas demandas sociais, mas aceitaram fazer parte da co…

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…