Pular para o conteúdo principal

Luiz Gonzaga: 100 de uma lenda

Não há maior glória para alguém do que ser referência para tantas outras pessoas, mas além de referência ser uma lenda é algo para poucos. Bob Marley ao morrer com seus 36 anos deixou um legado musical maravilhoso e hoje é mais que um artista pop, é uma lenda. Os Beatles há muito não são só uma banda formada por quatro garotos de Liverpool, são uma lenda da música mundial, Elvis Plesey foi muito além da sua voz poderosa e é tão lenda quanto os Beatlhes, Robert Jonhson morto aos 27 anos foi direto para galeria dos lendários da música, Mozart cujo nome é sinônimo de música e genialidade é uma das maiores lendas da história da música.
No Brasil o único artísta lenda é Luiz Gonzaga, nehum outra pessoa por aqui foi tão além da condição de artista como ele. Figura emblemática deixou-nos um catálogo musical maravilhoso, sua imagem pode ser encontrada desde loja de artesanatos a grafites em muros, suas canções foram regravadas por quase todos os artistas da sua geração e das posteriores, seu Centenário esse ano será festejado em todo país e durante o São João será impossível calcular quantas festas, shows serão realizados em sua homenagem.
Ao lado de Zé Dantas e Humberto Teixeira, Luiz Gonzaga compôs canções Inesquecíveis que ajudaram a não só imortalizar seu talento, mas a transformá-lo em lenda.
É lenda quem tão somente seu nome conta toda uma história e basta que alguém o escute para criar todo um imaginário de cultura, criatividade e identidade, assim ao ouvir a palavra Mozart alguém que nunca ouviu uma sinfonia criada por ele pode criar toda uma imagem ao seu respeito e o identificar como alguém diferenciado dos demais compositores.
Luiz Gonzaga é uma lenda porque não o identificamos tão somente como um músico, ele é a tradução de um povo, tudo nele é referência, sua vida bucólica, deu voz ao sertanejo do campo, cantando gêneros musicais dançantes, ora sendo politizado, conseguiu unir vários elementos que o fez ser do povo sua tradução, mesmo para quem vive nas cidades Luiz Gonzaga soube se fazer ouvido e sentido.
Nenhum outro artista brasileiro conseguiu a emblematicidade de Luiz Gonzaga, a questão não fica tão somente na seara musical, musicalmente podemos encontrar artistas mais talentosos que ele, no entanto para ser uma lenda só o talento não basta é preciso ser talento mais identificação, ou seja, sua arte e vida devem se identificar com a cultura de um povo.
O nordeste festeja Luiz Gonzaga, a voz do sertão que traduz nossas mais sinceras angústias e alegrias. Ao se vestir de cangaceiro Luiz Gonzaga fez homenagem a outra lenda Lampião, que encarna em si a eterna dualidade do ser entre o bom ou mal, Gonzagão o entendeu com o símbolo de luta do povo pobre nordestino, e o povo pobre ou não do país inteiro entende Gonzagão quando os primeiros acordes de Asa Branca canta sua saudade não só dos olhos verdes de Rosinha, mas de toda sua gente.
Contatos: http://edineysatana.blogspot.com.br, ediney-santana@bol.com ou ediney-santana.zip. net









Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…