150 mil “obrigado”

Nestas eleições com paixão peguei meu saquinho de santinhos e fiz acampamento na porta do Banco do Brasil quase todos os dias. Como na música do Caetano Veloso “Sem lenço e sem documento”, aliás, se o Caetano votasse em Santo Amaro e soubesse da minha história talvez votasse em mim já que ele votou e fez campanha para o Marcelo Freixo (Psol-RJ), candidato com perfil próximo ao meu, mas não sou Marcelo Freixo e vivo no nordeste lugar do país em que as milícias econômicas agem livremente matando e despedaçando vidas sobre os olhos mais que cegos de uma justiça profundamente moribunda.
A política brasileira é o reflexo exato do povo, para o bem ou para o mal, quem governa tem em si os mesmos vícios e virtudes dos governados, em Santo Amaro 150 pessoas votaram em mim, 150 pessoas se identificaram com minhas ideias e tenho por essas pessoas meus mais sinceros agradecimentos por no domingo deixarem suas casas e irem votar tão somente porque queriam uma câmara de vereadores atuante e decente politicamente.
Não estou triste por ter perdido a eleição, minha crença nos meus ideais é inabalável, minha esperança na vida não é medida por nada que seja exterior ou concreto, quem convive comigo sabe disso, assumo todos meus erros da mesma maneira que assumo minhas virtudes, mas confesso que fique profundamente triste quando vi a votação de todos candidatos que como eu são professores, somando todos os votos não chegaram a 600 , a baixa votação ( não falo em vitória, apenas em quantidade de votos) dada aos professores, todos bons quadros independente de partido ou coligação, não deixa de ser também o reflexo do desprezo que a sociedade tem pelos seus mestres,isso é triste e desalentador.
No dia da eleição confesso que senti vontade de ir embora quando vi toda máquina pública a serviço do desprezo pela democracia, nossa militância sendo coagida e perseguida só por ter nos peito nosso adesivo.
Se no dia da eleição alguém que tivesse no peito o adesivo do 11 ( número do partido que fez oposição ao PT) ou o meu levasse uma surra ou acontecesse qualquer tipo de agressão simplesmente não teríamos onde buscar ajuda,do lado do 11 estavam 12 mil ( número de pessoas que votaram contra ao PT) santoamarenses pobres e indefessos os quais sentiram neste quatro anos o quanto um pedaço de asfalto ou o pinta e repita de paredes não significam crescimento algum, 12 mil santoamarenses pobres e indefessos coagidos e assustados pelas ruas.
12 mil pessoas é um numero significante diante a força e o poder econômico usado nestas eleições, 12 mil pessoas que foram livremente as urnas, 12 mil pessoas que cansadas de testemunharem seus filhos indo embora da cidade, de penar nas filas dos postos de saúde ou sentirem o peso da violência oficial e marginal disseram não ao regime. A chama foi acessa em todo país, breve esses 12 mim serão 50 mil e aí a democracia vai realmente ser à força não do povo, mas de cidadãos e cidadãs. 
Nossas existências são breves sopros de vida quanto mais o poder político que é uma subcriação nossa, podem-se matar pessoas, mas ideias não morrerem, sentimentos não apodrecem em sepultura e essas ideias e bons sentimentos um dia vão se erguer dos escombros dessa sociedade decadente, moralista e eticamente pervertida.
Parabenizo aqui a atuação do Ministério Público que coibiu os abusos e repreendeu com rigor os que queriam e querem jogar nossos mais sagrados direitos na lata do lixo, que o MP de Santo Amaro seja sempre um exemplo de atuação justa e dura contra qualquer um que queria fazer das nossas vidas cidadãs vidas de escravos, que todos os crimes sejam investigados e os criminosos punidos no rigor da lei.
Não nasci em Santo Amaro, cheguei aqui ainda criança, aos três anos de idade, já são 35 anos de convivência, amo esse lugar, suas ruas e ninguém vai me impedir de viver essa cidade, de andar pelas ruas a qualquer hora do dia ou noite, aqui nasceram meus irmãos, vive minha filha, fui candidato por amor a esse lugar e não para buscar fazer riqueza ou qualquer ganho material. Podem me acusar de tudo e de qualquer coisa, mas não de ter por esse lugar amor sincero, meus amigos quase todos já foram embora, eu também já deveria ter ido já que aqui quase não tenho chances profissionais, mas mesmo ganhado pouco prefiro ficar aqui, viver perto das coisas que gosto da cidade que me faz feliz.
Deixo para as futuras gerações multiplicarem esses 150 votos e um ajudarem um dia nossa cidade crescer de verdade, ser feliz de verdade, não acredito que em minha geração isso será possível, mas tenho esperança que esses 150 votos serão o começo para um dia outra pessoa continuar nossa luta para que Santo Amaro seja de fato a cidade da Purificação... Como diz uma canção de Lazzo e Jorge Portugal: “Eu sou parte de você mesmo que você me negue” Santo Amaro, paz e alegria sincera, meu amor sincero por essa cidade.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys