Sonhou meu

A vida inteira no mesmo lugar e tempo de coração, o que foi meu e alheio que sonhei? Vem à tarde há uma luz cinza que também é esperança a dizer: ha sempre tempo de ser feliz e o mundo não termina aqui entre as cinzas do teu coração.
Não seja egoísta não fique em teus dias entregue a dor, olha a rua mesmo com a chuva há traços de felicidade no silêncio das pessoas, vem para o meu país tão nosso quanto o dia sol na tua janela.
Ela sorriu e disse: queria pegar você com minhas mãos. Mergulho no vazio da primavera, quase verão e nada de amarelo nas árvores da margem do rio. Não sei do mal, minha fortaleza é saber-me do lado do bem. Quem está do lado do bem sempre está do lado da vida, é impossível se sentir sozinho quando no coração há a certeza do bem, a dose mais profunda do amor, é o incondicional amor que parte de nós para todos os outros seres da natureza. O bem é maior que a simples convivência com outras pessoas, e muito maior que um sorriso profissional nos lábios. O bem é respeito, incondicional respeito ao que sou e principalmente ao que não sou
Tão breve é o tempo espaço ferida alma quase cicatriz, mas há sempre os dias e se há novos dias há sempre começo de vida.
Sou a canção a girar no meu Gradiente, dois santos e um demônio dizendo que sou o tempo passado triste em vossa busca por amor.
Às vezes desejo amar, sentir a beleza dessas ruas, amar você no meu pobre coração sem paz, mas como pode um pobre coração sem paz amar?
Eu me vi voltando para os teus braços e só teus braços estavam lá, só teus braços estavam lá.
Quero sentir minha vida nesta graminha úmida, no cair e levantar de uma criança aprendendo a andar de bicicleta. Quero me olhar no espelho e ver nos olhos uma pessoa feliz.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys