Febre do Rato

O melhor filme que vi até agora este ano foi “Febre do Rato” do diretor Cláudio de Assis, filme nacional mais chocante, poético e corajoso que já vi. Cláudio de Assis também dirigiu o espetacular Amarelo Manga. Febre do Rato é inquietante, provocador, um soco no estômago do conservadorismo e puritanismo.
O filme se passa na cidade do Recife, nos conta a história de um poeta tão panfletário quanto apaixonado pela poesia e sua cidade, aliás, até aparecer sua musa, Zizo vive um caso de amor e ódio intenso com a cidade do Recife.
Zizo é uma espécie de Gregório de Matos pós- moderno, editor, impressor e distribuidor do jornal Febre do Rato que denúncia em versos ácidos problemas sociais e humanos.
Irandhir Santos (interpretou Diogo Fraga no filme Tropa de Elite 2) é quem vive Zizo (personagem real), sua interpretação é impecável, recita poemas e atua de maneira única, não há como não ser arrebatado por sua atuação, há ainda no filme Matheus Nachtergael que dispensa apresentação, Matheus vive um coveiro que tem um amor tórrido com um trasvestir, o par quase romântico de Zizo é vivido por Nanda Costa (protagonista da novela Salve Jorge da Rede Globo) ao encontra-la e por ela se apaixonar sua poesia deixa de ser  social e  mergulha em questionamentos existenciais, vive assim seu amor platônico, sua doideira sentimental.
Curiosidade: em uma das melhores cenas do filme os principais personagens interpretados por Irandhir Santos e Nanda Costa tiram a roupa no meio da rua na cidade do Recife a polícia aparece e a ficção quase vira realidade, na cena os personagens são presos, quando a polícia apareceu quase levaram os atores presos por atentado ao pudor.
Ediney Santana.
http://edineysantana2.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys