Respeito

Atentado ao pudor é não respeitar a liberdade das pessoas se amarem da maneira que cada uma entende o que é amor. Intolerância é a arma dos controladores sociais para imporem suas verdades e manter ao peso absurdo da opressão o poder.
Eu existo nas coisas que me realizo e não posso forçar pessoa alguém a viver minhas emoções. Minha liberdade preenche minha sede de felicidade, mas tua sede pode não ser a mesma minha.
Não posso inundar teu coração com meu amor, amor que inunda, sufoca não é amor é cárcere sentimental disfarçado de coração e bondade.
Meu Deus pode não ser o teu Deus, mas nem por isso vou demonizar tua crença, cada um celebra o espiritual que entende como importante para si e não para coletividade, a coletividade é a celebração da diversidade e não das minhas crenças pessoais.
Meu gosto não se impõe ao teu gosto e não gostar do que você gosta não me da o direito de negar o teu direito de continuar exercitando o teu paladar nas coisas que te trazem sabor.
Respeito: simples, não precisamos de outra sociologia que está, respeite o que não é você, não cuspa no espelho que não te reflete. A dor, morte, ódio, alegria, cor e amor não tem sexo, têm pessoas.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys