Pular para o conteúdo principal

Ingmar Bergman: a poesia do nome

Ingmar Bergman
Gosto dos finais de tarde, olhar pessoas ao fim da tarde voltado para suas casas.Gosto de olhar a Purificação quando a única celebração nela é o total silêncio.Gosto de ir ao cemitério visitar os mortos, levar velas, isso me faz lembrar que sou finito, ler lápides me faz pensar que um dia alguém, talvez leia a minha, se eu tiver uma.
Gosto de sentar sozinho no banco da praça ao cair da tarde e refletir sobre a vida, principalmente sobre a vida que ainda não nasceu para mim.
Gosto de visitar o Sérgio Damião, ele sempre tem alguma novidade, quem tem sempre alguma novidade não se deixa vencer pelo tédio.
Gosto de dormir ouvindo a Globo FM e acordar todos os dias com ela ouvindo “O Programa da Sete com Jefferson Beltrão.
Gosto de falar horas e horas com a Renata  e olhar a gente no futuro.
Gosto de ficar quieto na minha biblioteca ouvindo música no volume mínimo do rádio.
Gosto de desejar o bem para pessoas que cruzo pelas ruas, não sei quem são, mas quando me passam boa energia mentalizo também boa energia para elas.
 Gosto de ver filmes nacionais, adoro filmes nacionais.
 Gosto de cerveja, mas ultimamente gosto mais de fica em casa.
Gosto de desligar o celular e não atender chamadas.
Gosto de trabalhar, mas o magistério na Bahia é o purgatório de todo professor.
Gosto de dizer: bom dia! Mesmo sabendo que isso para algumas pessoas é o mesmo que uma ofensa.
Gosto de escrever e de Ingmar Bergman, mais do seu nome do que seus filmes, seu nome é uma poesia: Ingmar Bergman.
 Gosto de ir ao Bistrô do Miúdo, de ficar em casa, de comida simples dessas de restaurantes populares.
Gosto de música italiana antiga e de Luiz Gonzaga.
 Gosto de meus amigos, tenho poucos amigos e muitos conhecidos.
Gosto de comprar só o necessário, não entro em lojas se não for para comprar algo.
Gosto de fazer caridade.
Gosto de pensar onde estão às pessoas que amo quando não estão comigo...
Gosto de andar por aí eu e meus pensamentos.
 Gosto de aprender com as pessoas.
Gosto de mergulhar em mim e deixar o mundo do lado de fora.
Gosto de relacionamentos longos.
Gosto de fazer as pessoas felizes.
Gosto dos primeiros fios de cabelo branco que estão aparecendo na minha cabeça.
Gosto do silêncio e de beijar longamente quem amo.
  Gosto da vida.

ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…