Ingmar Bergman: a poesia do nome

Ingmar Bergman
Gosto dos finais de tarde, olhar pessoas ao fim da tarde voltado para suas casas.Gosto de olhar a Purificação quando a única celebração nela é o total silêncio.Gosto de ir ao cemitério visitar os mortos, levar velas, isso me faz lembrar que sou finito, ler lápides me faz pensar que um dia alguém, talvez leia a minha, se eu tiver uma.
Gosto de sentar sozinho no banco da praça ao cair da tarde e refletir sobre a vida, principalmente sobre a vida que ainda não nasceu para mim.
Gosto de visitar o Sérgio Damião, ele sempre tem alguma novidade, quem tem sempre alguma novidade não se deixa vencer pelo tédio.
Gosto de dormir ouvindo a Globo FM e acordar todos os dias com ela ouvindo “O Programa da Sete com Jefferson Beltrão.
Gosto de falar horas e horas com a Renata  e olhar a gente no futuro.
Gosto de ficar quieto na minha biblioteca ouvindo música no volume mínimo do rádio.
Gosto de desejar o bem para pessoas que cruzo pelas ruas, não sei quem são, mas quando me passam boa energia mentalizo também boa energia para elas.
 Gosto de ver filmes nacionais, adoro filmes nacionais.
 Gosto de cerveja, mas ultimamente gosto mais de fica em casa.
Gosto de desligar o celular e não atender chamadas.
Gosto de trabalhar, mas o magistério na Bahia é o purgatório de todo professor.
Gosto de dizer: bom dia! Mesmo sabendo que isso para algumas pessoas é o mesmo que uma ofensa.
Gosto de escrever e de Ingmar Bergman, mais do seu nome do que seus filmes, seu nome é uma poesia: Ingmar Bergman.
 Gosto de ir ao Bistrô do Miúdo, de ficar em casa, de comida simples dessas de restaurantes populares.
Gosto de música italiana antiga e de Luiz Gonzaga.
 Gosto de meus amigos, tenho poucos amigos e muitos conhecidos.
Gosto de comprar só o necessário, não entro em lojas se não for para comprar algo.
Gosto de fazer caridade.
Gosto de pensar onde estão às pessoas que amo quando não estão comigo...
Gosto de andar por aí eu e meus pensamentos.
 Gosto de aprender com as pessoas.
Gosto de mergulhar em mim e deixar o mundo do lado de fora.
Gosto de relacionamentos longos.
Gosto de fazer as pessoas felizes.
Gosto dos primeiros fios de cabelo branco que estão aparecendo na minha cabeça.
Gosto do silêncio e de beijar longamente quem amo.
  Gosto da vida.

ediney-santana@bol.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys