Pular para o conteúdo principal

Pontes que não levam a lugar algum

Nestes dias tão sem exatas paixões, se é que paixões podem ser exatas, talvez nada seja tão complicado quanto construir pontes. Não nascemos para o autoexílio ou fazer das nossas verdades cárceres de prepotência e ilusão. A vida se completa ou deveria se completar quando atravessamos nossas pontes interiores , chegamos do outro lado e encontramos pessoas que também conseguiram atravessar suas pontes.
Deixar nossos cárceres emocionais requer coragem, porque sair de nós e nos permitirmos em amor por alguém ou uma causa é também saber que a ponte atravessada para isso pode nos levar a uma muralha na qual mais que nossas caras quebraremos nossas esperanças mais sinceras.
Quando nossas pontes nos levam direto para muralhas de desencanto resta-nos saber o quanto nossa fênix interior tem ainda capacidade de reação, se ela vai conseguir se reergue das cinzas e voltar a atravessar pontes ou vai direto fazer ninho em um coração ilha , sem capacidade afetiva de amar e se permitir ser amado novamente sem as aspas do medo da decepção por perto.
Alimente a traição com confiança, o ódio com amor, a tristeza com alegria, frieza com o calor da paixão, promiscuidade com a inocência, seja tolo diante da sabedoria do mal e certamente o desencanto que você encontrou do outro lado da ponte vai se revelar totalmente nu a sua frente, sem puderes vai dizer quem exatamente é na certeza de que você é um João Bobo desses de circo, neste momento abraçar a fênix interior é ter consigo mesmo a beleza de recomeçar longe do mal antes sedutor e aparentemente amigo.
Todos nós temos aqueles dias os quais pensamos: “não nasci para ser feliz”,  sei disso, boa parte dessa impressão errada acontece pela quase irresistível sensação de que outra pessoa é nosso universo, o mundo perfeito de amor revelado só para nós por alguma força misteriosa da natureza, mas dia menos dias descobrimos que aquela pessoa foi tão somente a projeção das nossas carências e desejos e que ela sempre nos disse isso e nunca escutamos.
Não há nada de perfeito do outro lado da ponte, há esperança e expectativa de algo bom, nada que é bom é mistério ou se oculta, o bem não mente, o bem é revelação, do outro lado da ponte não encontraremos nada que não seja humano e ser humano é ser imperfeito o que se revela perfeito tem na sua essência a mentira.
Do outro lado da ponte nossas vidas podem se completar, mas nunca vão se anular, todos nós somos o que somos e não podemos fazer de emoções peças de teatro neste ato único da vida. Ou somos ou mentimos, quem mente acaba só e ridicularizado diante si mesmo, perde a oportunidade de ter consigo mesmo uma relação honesta e abrir as portas do seu coração para alguém que não busca o perfeito de uma vida a dois, busca um coração que somado ou seu possa bater mais forte e jutos construírem a mais perfeita manifestação do amor: o respeito de quem divide a mesma cama, vida, alegria e dissabores.
Não se oculta a verdade por medo de perder quem amamos, quem se sente amado de verdade tem a capacidade de entender e perdoar quando se sente ferido , do outro lado da ponte o outro só será um parceiro bom se tivermos uma relação franca com ele, o outro não é o que desejamos que ele seja, cada um segundo a si mesmo nos completa sendo quem é, eu sou tu és e juntos vivemos o que temos para viver em comum.
Quem ama e cruza a ponte não sente vergonha de quem está ao seu lado, não busca fazer do idealizado o real , quem ama e cruza a ponte é solidário, fraterno, estende a mão, cuida, protege, cruzar a ponte é ter coragem de proteger o outro  encontrado do outro lado quando tempestades desabarem sobre sua cabeça, cruzar a ponte e ser um pouco o outro sem deixar de ser quem somos.
Do outro lado da ponte não há espaço para negociar emoções ou incertezas, ou estamos ou não estamos, ou tu és para mim e eu para ti ou não somos nunca dois. Já quebrei muito a cara, certamente e infelizmente quebrarei muitas outras, mas enquanto viver não desisto de encontrar o que pode me fazer bem do outro lado da minha ponte interior, cada cara quebrada é um motivo a mais para seguir em frente e ser feliz sem culpar pessoa alguma pelos arames farpados que pisei.



Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…