Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 6, 2013

Poesia concreta

Toma-me nos vossos seios e suga-me para teu ventre calor e fúria. Faz dos teus dedos brasa a marcar minha pele. Tua língua é meu verbo profano a me devorar coração e alma, minha alma é tua cama para do teu corpo devorar o meu, me come com tua fome de fêmea. Quem come é o corpo fêmea, o meu macho apenas te serve o sabor entre tua saliva quente e teus dentes carnívoros. Meu café da manhã é servido entre tuas coxas claras como os dias a nos abraçar, meu pão é o deleite da minha língua nos teus seios amoras e algodão doce. Segue as mãos por baixo da tua saia, encostada na parede você ri dos meus dedos perdidos na umidade quente do teu corpo, beijo-te, leva para o teu dia minha energia que faz brilhar teus olhos amêndoas. Eu ando sumido, meus amigos perguntam por onde ando, ando contigo, dentro do teu corpo, na paz de sentir no teu ninho meus dias ser exatos de amor e alegria. Chega perto, tira a roupa e aquece meu coração ao abrigo dos teus seios fartos, alegres como pardais brincando ao…