Flores aos mortos pela democracia

Os pequeninos corações desalentados que não tem proteção algum do estado: ofereço flores, às mães e pais que estão perdendo seus  filhos para violência oficial e bandida: ofereço flores, aos que são sensíveis ao horror  de viver em um estado corrido pela violência: ofereço flores, aos que  já não tem força nem mais para gritar ou lágrimas para chorar: ofereço flores, as pessoas simples, pobres e desalentadas que vagam pelas ruas como se fossem invisíveis: ofereço flores, as que são vítimas da brutalidade e estupidez de uma sociedade que tem na boca o gosto de sangue e nos olhos a tara pela morte: ofereço flores, os que infelizmente cruzaram seus caminhos com os vazios de espírito e adoradores da dor e destruição da vida: ofereço flores.
Os que acreditam que violência se combate com mais violência: ofereço piedade, aos que são responsáveis pela segurança, mas promovem o medo e terror: ofereço piedade, ao governo que é incapaz de um gesto humano: ofereço piedade, aos que acreditam que por serem poderosos não vão nunca cruzar com a sombra da morte que devora os pobres e sem proteção: ofereço piedade.
Aos que se sentem humilhados e perseguidos: ofereço carinho, ao silêncio e covardia de todas instituições sociais diante esse horror violento que fere de morte os pobres da terra, ofereço coragem, os que há muito perderam a fé no diálogo: ofereço o tempo, aos que acham que ficarão impunes das dores causadas: ofereço o tempo, aos que se julgam imortais e celebram a dor como paixão e razão do próprio viver: ofereço a justiça da natureza.
Ao povo que não reage e se faz de algoz para si mesmo: ofereço amor próprio, aos que acreditam que autoridades oficias são o caminho, verdade e a vida: ofereço coragem, os que zombam da dor dos que caídos não  conseguem levantar, dos que exercem o pequeno poder contra os pequenos do mundo: ofereço a lei justa da natureza.
A única coisa que não passa na vida é o tempo, a própria vida é finita seja para os pobres e sem poder, seja para os poderosos, em 2060, toda essa geração vai tá morta, não importa o que você seja hoje ou tenha feito, mas antes que seu dia de acertos de contas com a vida chegue, pode fazer algo melhor que eu : não ofereça flores e nem piedade, proteja a vida.
Se for um policial: proteja vida, se for o governador: proteja vida, se for um vendedor de chicletes: proteja vida, se for a costureira: proteja vida, se for motorista: proteja a vida, se for um médium , padre ou pastor: proteja vida, seja lá o que você for, pense duas vezes quando sentir ódio de alguém, quando se sentir amargo, proteja a vida.





Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys