Pular para o conteúdo principal

Nostalgia

A única saudade prazerosa que alguém pode sentir, é a saudade de si mesmo. Manter um estado premente de desejo pela própria vida, ter por si toda esperança do mundo, não esperar nada de pessoa alguma, aprender quando na queda segurar nas paredes interiores e se erguer, nunca deixar de ter consigo uma relação profunda de solidariedade. Acredite, quanto maior for a esperança em coração alheio, maior vai ser a dor da decepção, saber ser amante de si mesmo, cuidar primeiro das próprias emoções é passo sincero para vivermos melhor com o mundo, não fazer valer nas nossas vidas um antigo provérbio: herói bom, herói morto . Ser de si mesmo herói e vivo viver a alegria de dividir consigo todas a nuances da vida é certamente mais prazeroso que desejar salvar o mundo que não quer salvo.
Não é a política que está tomada pela corrupção, são os corações que cada vez mais estão envenenados pela maldade, nada do mundo é ruim, em si uma serpente é só mais uma criatura como todas as outras, a serpente só se torna perigosa quando a humanizamos, quando levamos para ela nossa maldade e falta de respeito, assustada ela se defende, nos fere com aquilo que dentro de nós já nos matou há muito tempo: a maldade.
Quando me olho no espelho vez por outra questiono minha barriga, meu cabelo, minha roupa e acabo me sentindo mal, mas logo lembro que isso acontece porque me comparo ao padrão de beleza que tentam colocar na cabeça de todo mundo que ser aquilo é ser belo, então mando tomar no cu o padrão de beleza, deito na cama, me toco, me amo, gozo com a alegria de ser quem sou, uma criatura humana, única no mundo, infinita em beleza e amor, uma criatura de Deus e não uma capa de revista.
O amor incondicional pelo que somos, não achar que somos prontos, acabados, mas antes de abrir os braços para outra pessoa, se abraçar com carinho, só podemos oferecer o que temos, alegria de ser amor da própria vida. Eu me amo como não amo a mais pessoa alguma, Cristo já disso isso: ame ao teu próximo como a você mesmo, ou seja, sem nos amarmos primeiro somos incapazes de amor qualquer outra pessoa.
Hoje é dia de festa, festa em meu coração, festa na minha alegria porque sou livre e me amo, vestir a roupa, procurar emprego, encontra alegria nos olhos, ser feliz longe da tristeza, comprar queimados na banquinha, mais uma vez dizer bom dia ao vinho que nunca responde, tirar fotos dos trens, festeja a vida, vida vida vida...beijos carinhos pela própria alma, ser alma da minha alma , amor do meu amor.
Ouvindo: The Beatles - "Rubber Soul”, disquinho muito muito bom. Hoje meu coração dói tanto, uma dor antiga, não me leva morte súbita, certamente é a mais vexatória das mortes, quero colher chicletes que os imundos sempre deixam nos bancos, compra a nova Playboy, ir ao Centro Espírita, Bistrô do Miúdo, ver uns filmes descarados no X Videos, sonhar que o amor é possível, não quero ouvir falar de porra de Copa do Mundo ou Manifestações, quero e cama com flores de laranjeira, pescar meu signo em lago bom e ser feliz.



Postagens mais visitadas deste blog

“Eu vou tirar você deste lugar – As canções de Odair José”

A internet tem tirado do limbo muitos artistas que foram solenemente ignorados pela crítica e mídia ortodoxa ou pior, foram massacrados por uma estrutura midiática preconceituosa e elitista. Odair José foi um desses artistas que mesmo com uma importante obra foi deixado fora do que cretinamente chamam de MPB, essa sigla é a senha para que muitos artistas sejam desprezados e outros coroados como “gênios” e inquestionáveis. A internet nos faz olhar para o lado e ao olharmos para o lado encontramos um importante legado de inúmeros artistas, artistas que antes eram chamados de bregas, ou seja, inferiores culturalmente, politicamente, e não só isso, o público desses artistas também foi durante muitos anos marginalizados, tanto que muitas pessoas escondiam que gostavam deles. Curioso é que esse preconceito todo foi dogmatizado por gente supostamente progressista e defensores de causas nobres, gente que se diz sensível as nossas mais dolosas demandas sociais, mas aceitaram fazer parte da co…

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…