Pular para o conteúdo principal

Reagindo com amor



Reagimos com amor quando temos pedras ao alcance das mãos, mas lembramos que somos pecadores, reagimos com amor quando tudo escurece e  sobre nossas costas estalam chicotes implacavelmente ferozes e mesmo assim não maldizemos da nossa sorte, reagimos com amor quando pessoas nos olham com o olhar do mal, mas retribuímos com aquela oração silenciosa, reagimos como amor quando tudo que somos é “ um catálogo de erros”*, mas não culpamos pessoa alguma por nossas derrotas.
Alguém já escreveu que o mundo é uma rede, quem não faz parte dela simplesmente não existe, assim como todos os dias pessoas são colocadas na rede, outras tantas são expulsas, eu já estive na rede, fui expulso, mas não me esforcei para voltar, às vezes é preciso descer ao inferno para ascender ao paraíso, mas rede alguma é paraíso, por mais que tenha um bom coração , um vez na rede, todos os dias seu coração embrutece um pouco, até chegar o dia em que o reflexo do espelho é de um  mero desconhecido.
No filme “AI Inteligência artificial”, há uma passagem em que um robozinho programado para “amar” sua dona como se fosse sua “mãe”, fica desesperado por não conseguir encontrá-la, então fala para outro robô que sua “mãe” o ama, ouve em resposta: “ela não ama você, ela ama o que você faz por ela”. Quantas vezes pensamos ser amados e queridos, mas em verdade, as pessoas apenas gostam do que fazemos por elas e não de nós, somos apenas pontes para alguém conquistar alguma coisa, isso é triste, mas é assim que a rede social funciona.
Não posso desejar que algo de errado aconteça para tirar proveito das desgraças alheias. Antigamente as funerárias ganhavam dinheiro apenas vendendo caixões, parecia um bom negócio, todo mundo morre, todo mundo um dia vai precisar de um caixão, mas as funerárias perceberam que com o aumento da expectativa de vida, de alguma maneira teriam que esperar muito para pegar o dinheiro e as mensalidades dos planos funerários eram muito pequenas, o que diminuía os lucros, então mudou a velha estratégia de ter lucros apenas vendendo caixões, criaram planos de saúde populares, passaram a investir na saúde dos seus clientes, sem falar nas pessoas que começaram a ter planos funerários justamente por causa do atendimento médico, os donos de funerárias descobriam que o grande negócio não é a morte e sim a vida.
Acontece que muitas vezes na rede social se acredita mais na morte que na vida, não posso desejar que o prefeito, governador ou presidente fracassem, isso seria burrice, o fracasso na política coloca em risco a vida de todos, mesmo sendo oposição, minha aposta é no sucesso do adversário, meu discurso será apontar seus erros e não desejar que erre,desejo que tenhamos gestores sensíveis, valorize não só críticas positivas, nem sempre sinceras. Às vezes aprendemos mais com quem nos odeia do que com quem diz nos amar, ser adversário não é o mesmo que ser desleal, reagimos com amor quando não criamos problemas para vendermos soluções.
Lembro de uma história: dois homens estavam sentados lado a lado em um barco, estavam em alto mar, quando o comandante avisou que o barco iria afundar, para piorar não havia coletes suficientes e nem botes salva-vidas, um dos homens se desesperou, mas olhar ao lado, o outro homem estava calmo, lia um jornal, o homem apavorado diz: você não ouviu o comandante dizer que o barco vai afundar, fica nesta calma toda, o outro homem respondeu: esse barco não é meu.
Muitas vezes nos comportamos como o homem do barco, mesmo prestes a morrer, não nos incomodamos tão somente porque o barco não é nosso. Fechamos os olhos para a dor e sofrimento do outro, para o desemprego e fome de alguém, para violência, porque temos a tola ideia que o “barco” não é nosso, mas é, a rede social eu, você: a mulher rica, a prostitua, o homem na janela olhando a rua, todos estamos no mesmo barco, a água que afoga um, afoga todos, por isso temos que reagir com amor, enquanto há tempo, reagir com amor não é ser bonzinho, é ser justo com o que somos e com quem nos relacionamos.
A coisa mais triste do mundo não é a morte de alguém,mas é morrer  como se nunca tivesse existido, bem não foi enterrado e é sumariamente esquecido, lembro de muitas pessoas atuantes na sociedade, amigos ou conhecidos , enfim muitas pessoas que parecem nunca ter estado entre nós, mas cada pessoa deixa seu legado, algo que podemos aprender, a não reação com o amor destrói o senso comum positivo e nos faz reféns do que a rede social escolhe como importante.
http://livrosdeedineysantana.blogspot.com.br/
* Frase de Renato Russo 

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…