Silêncio

Tempo 1
Meu quintal é de um silêncio assustador, uma folha caindo ao chão faz meus nervosos desejarem sair de mim, tudo é calmaria, ouço música clássica, como desejei viver a beleza antiga que essas canções trazem, é preciso não se deixar vencer pela solidão, fazer das angústias trabalho trabalho, como no meu quintal, ser da vida o silêncio que em hipótese alguma significa isolamento.

Tempo 2
O mistério da vida, talvez a ausência de mistério, esse desejo  nós temos de explicar todas as coisas e causas de todas elas, só servem para aumentar a angústia, a vida é tão somente para ser o que é, se nossos desejos fossem apenas pelo lúdico da vida, essa aventura nossa aqui na terra teria sido imensamente mais feliz.

Tempo 3
Passa o tempo e vamos colhendo os frutos dos nossos erros e acertos, certo é que para os erros todas feridas serão sempre mais dolorosas que a celebração dos acertos. Somos o veneno da vida, nossa raiva e desprezo pela beleza simples das coisas ,sufocou nosso amar, matou nossas boas paixões.
Tempo 4

De nada vale o medo se esse for hesitação para a felicidade, felicidade não é para ser hesitada, felicidade é coragem de vencer o medo, ir para frente, felicidade é movimento e não culpa.
Tempo 5

O que você fez de bom?





Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys