Gente boa é o cachorro

Para os cachorros, o que define bem ou mal é o cheiro, pelo cheiro eles também escolhem seus parceiros para estripulias sexuais pelas ruas, ou os mais sem sorte, pelos canis, o cheiro define quem presta ou não presta no mundo das quatro prestas. Os cachorros não tem noção de raça, não usam a cor para justificar a segregação de sua espécie, um vira-lata pode traçar sem cerimônia um Poodle e ela ficar caidinha pelo cheiro do cachorro que é símbolo de liberdade, o vira-lata.
Um dia na rodoviária de Candeias, vi dois cachorros, um vira-lata todo gasto e ferido pelo tempo, o outro um pastor alemão, bonito e jovem, no meio uma cadelinha simpática, era cheirada por um e por outro, também cheirava, ao final ficou com o vira-lata envelhecido e como disse ferido, tinha umas feridas pelo corpo, o cheiro meu amigo, sempre ele.
Seres humanos se dividiram em raças, cor, achando pouco investiram na divisão geográfica, tornaram-se xenófobos, seremos humanos gostam de perfume francês porque não suportam o próprio cheiro.
Se a Dilma vencer as eleições e receber expressiva votação no nordeste, vão propor, com certeza, que nordestinos só entrem no sul com passaporte e data da saída, nossa sociedade não é como os dos cachorros em que uma simples mijada no poste marca-se o território e todos latem felizes para sempre.
Cachorros são do mundo, não sabem-se nordestinos ou franceses, não sabem-se negros ou amarelos, da polícia  ou mendigos, do PT ou do PSDB. Cachorros são felizes, mesmo quando estão com o rabo entre as pernas, seus mundos de cheirados resume-se em cheira para encontrar comida, parceiros sexuais ou postes, muros, pneus para marcar território e talvez mais uma coisa ou outra (infelizmente) que humanos ensinem.
Nós humanos, brutus, arrogantes, prepotentes empurramos na goela dos outros as porcarias que nunca comeríamos , os cachorros são livres, mesmo domesticados são livres, tem sentimentos nobres: gratidão, gentileza, amor e solidariedade, mas às vezes são pervertidos pela indecência humana e transformados em cães de guerra, esquece sua natureza, manipulados ficam parecidos com seus donos.
Cachorros são bem resolvidos sexualmente, transam na rua sem o menor constrangimento, não são violentos com suas parceiras, cachorros vivem, a vida na tranquilidade, não infartam, quase sempre morrem de velhice, cachorros tem amor nos olhos.
Quando digo cachorro incluo também as cadelas, só escrevo cachorro para não cansar o texto escrevendo: o cachorro e a cadela, sem machismo, no mundo dos cachorros não há machismo, então não vamos levar essa praga para eles ta bom?
Gente boa é cachorro, quem tem pulga e gente de gente mesmo, dessas que deita-se com o diabo e diz amem para Deus.
http://livrosdeedineysantana.blogspot.com.br/





Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys