Pular para o conteúdo principal

Sou Brasileiro

Alguém reclamou em Santo Amaro que a maioria dos aprovados no curso público municipal são pessoas de “fora”, ou seja, não vivem na cidade, mas existem pessoas de “fora” em seu próprio país? Não, não existem, quem nasce em um país seja qual for o estado ou cidade é de “dentro” e não de “fora”, todos são brasileiros e quem questiona isso ou é por ignorância (o que é até certo ponto perdoável) ou é leitor voraz de Miem Kampf, diluído nas sandices da extrema direita e esquerda que domina o país.
Concurso público é mérito pessoal, se em uma cidade pessoas não conseguem aprovação devem questionar não quem passou, mas o sistema educacional o qual foram formados e talvez seus filhos estejam também sendo formados pelo mesmo sistema. Educação não é bico, aceitar passivamente que dublês de professores (as) (alguns até com diploma) atuem no sistema de público de ensino é um crime que provoca morte lenta, mesmo professores (as) concursados devem ser acompanhados de perto, estabilidade no emprego não é o mesmo que imunidade.
O que me chama atenção neste ideia de "pessoa de fora do meu estado”, “ pessoa de fora da minha cidade” é o teor racial e xenófobo disso tudo. Na revolução de 1930 os gaúchos fizeram bandeiras nas quais escreveram: “O Rio Grande do Sul em defesa do Brasil”, se uniram a paulistas e paraibanos (os três principais articuladores do movimento para “defender” o Brasil.
Em um curto espaço de tempo o país se dividiu em pequenas repúblicas de ódio e intolerância. Cresce o sentimento que já não somos mais uma nação.
Enquanto isso todos, sem exceção, grupos políticos do país falam a mesma língua, podem até aparentarem diferenças, mas no fundo são unidos pelos mesmos sentimentos. São patrulheiros ideológicos, ao menor sinal de contrariedade não existam em castrar, expurgar, ameaçar e desmoralizar os descontentes.
Todas essas ideias de que somos forasteiros em nosso próprio país, de que existem culturas inferiores são incentivadas pela narco-política, quem governa sabe o quanto um povo dividido é muito mais fácil controlar, quem governa sabe o quanto um povo que se odeia é conduzindo para os currais da subserviência apenas com frases de efeito.
Ao discutir temas estúpidos como se fossem urgente para o país e suas vidas o povo cai na armadilha rasteiras dos gerentes testas de ferro da narco- política que controla o Brasil, enquanto isso absolutamente nada de relevante é feito para mudar a estrutura política e administrativa do país que é morada de todas nossas misérias.
Eu sou brasileiro, como disse Raul Seixas, em Feira de Santa ou mesmo em Paris, eu sou brasileiro e qualquer outro brasileiro que negue isso é um criminoso.
Bem vindo os aprovados no curso público...



                                                                                          

                                                                                          

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Jantar e crime

Na delação: “em um jantar acertamos o valor da propina”. Quantos crimes são articulados em mesas fartas e jantares de luxo? Ou melhor, em palácios? É mórbido e tragicamente irônico que pessoas sentam-se em uma mesa cheia de comida para acertar crimes que vão levar à fome e morte tantas outras pessoas. Nos últimos dias, com o avançar da Operação Lava Jato e as delações premiadas, tomamos consciência da naturalidade a qual crimes são articulados, como pessoas sem sentimento algum, roubam e matam com se estivessem apenas trocando ideias entre amigos e parentes sentados em uma mesa. Paralelo a comilança criminosa, esses mesmos agentes do Estado tramam reformas administrativas que vão impactar a vida dessas mesmas pessoas já roubadas por eles. É preciso, sim, diminuir os gastos públicos, mas não se pode sacrificar quem já não tem quase nada. Nossa saúde e segurança pública são máquinas de triturar gente, gente pobre e tempere isso com o absurdo da reforma da previdência que iguala pela pe…