O tempo dos medíocres

 A direita e esquerda brasileira mostram suas reias faces, o que assistimos no país é uma estapafúrdia canalhice ideológica de direita e esquerda que tenta a todo custo não mudar a realidade política apodrecida do país, mas desestimular o debate sério para que possamos sair desse chorume social a nos prender em tudo de ruim e tosco que um país não poderia ter. Movimentos sociais carregados de desprezo e ódio pela vida usam um pífio jogo dialético para justificar não a inclusão ou respeito às pessoas, mas imposição de suas visões de mundo, movimentos regidos pela casa grande da desonestidade intelectual. Esses movimentos quando contrariados ou desmascarados diante suas próprias contradições caem em primeiro momento no coitadismo e logo em seguida tornam-se violentos e déspotas.
Na direita o chorume não é menor, atrelados a vícios sociais que eles dizem ser virtudes esses grupos pregam uma visão de mundo intolerante, superficial, baseada ainda na velha cartilha da família cristã e excluem de seus pleitos qualquer possibilidade de um mundo diverso, de um mundo em que a meritocracia não seja a única ponte para o acesso ao bem estar social e tudo que neste bem estar possamos encontrar.
Racismo, xenofobia, intolerância, desrespeito a vida, falta de caráter, falsidade intelectual, ódio, amor ao poder, buscava pela visibilidade, chantagem política e falta de compromisso com o Brasil todos esses ingrediente fazem parte tanto do que chamamos esquerda, quanto direita, todos podres, dementes e lunáticos. Direita e esquerda no Brasil respondem pela mesma cartilha imoral e canalha, tanto um quanto outro não têm nas suas agendas o Brasil, querem apenas dele sugar, humilhar e terem o controle de alguma parte do Estado.
No meio disso tudo estão pessoas que querem um país melhor e fraterno, que querem um Estado forte, mas nunca autoritário, tão pouco sendo gestado pelo crime, um Estado que não sirva a bandidos seja de direita ou esquerda, um Estado que sirva ao povo. Nas redes sociais podemos encontrar farta manifestação da esquizofrenia política que assola o país, mansitestações de gente que se diz contra o racismo e é racista, gente que se diz contra um governo centralizador, mas não suporta ser contrariado.
Eu desejo um país melhor, participo de manifestações contra essa horda de criminosos, mas as únicas cores que uso são da bandeira do meu país. No passado quando era estudante militei no partido comunista, acreditava que a verdade e a vida estavam do lado do comunismo, com o passar dos anos, vi o quanto comunismo e capitalismo desejam as mesmas coisas com argumentos diferentes. Um quer o Estado a seu serviço, o outro quer pessoas a seu serviço, entrei para o partido Verde, mas isso só reafirmou minhas certezas que é impossível encontrar em algum partido neste país algo de sincero e honestidade intelectual.
Não pense que sou anarquista, nada disso, longe disso. Acredito na política, o que não acredito é em um bando de cretinos que usam da dor e da miséria do nosso povo para sustentar um discurso de medo, terror, pânico, um discurso que reafirma todos os preconceitos quando deveriam negá-los.
A ideia é muito simples: não permitir a reflexão, não permitir nenhum tipo de crítica seja de direita ou esquerda, o Estado sitiado é usado como instrumento de repressão, nenhuma força política quer libertá-lo do função de serviçal da desordem e do crime a qual foi reduzido, muito pelo contrário, todos querem manipular, usar e colocar o Estado a seu serviço, por isso mesmo cada cidadão cidadã desse nosso amado Brasil deve ficar atento, não podemos confundir nosso país com essa podridão política que o controla, devemos sim e pressionar, ir para as ruas dizer que não aceitamos isso, e não deixar em hipóteses algumas que sejamos usados seja por canalhas da direita ou da esquerda
http://edineysantana.zp.net

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys