Pular para o conteúdo principal

Ed Motta não errou, apenas exagerou !

Quando o erro de alguém nos diz que algo em nós mesmos não vai nada correto. Ed Motta falou algumas coisas e deixou  muita gente com raiva, mas não quero aqui falar do que todos já sabem.
A verborragia irada do Ed nos alerta para algo que é fato: a ausência de ensino de inglês tanto no sistema público como particular de ensino, somos um dos piores países em aprendizado de uma segunda língua, até o ano passado apenas 5% dos brasileiros falavam inglês fluentemente. Falar uma segunda língua é necessidade e exigência nos dias atuais, dizer que ficamos isolados por causa dessa bela e maravilhosa língua portuguesa é que é estupidez. O mundo escolheu o inglês como sua língua universal, como um dia foi o Latim, talvez também como o Latim, um dia o inglês deixe de ser universal, mas no momento é dela que necessitamos.
Portugueses, franceses , alemães, japoneses, argentinos, gregos e moçambicanos, enfim dezenas e dezenas e dezenas de países tem o inglês como segunda língua, todos estão mais bem colocados no ensino de uma segunda língua que nós. 
Não é o português que nos ilha do restante do mundo, mas a forma como o governo brasileiro há anos divulga a imagem do país, até bem pouco tempo em propaganda oficial do ministério do turismo só havia mulheres mostrando suas  bundas, jogadores de futebol e praias. Essa imagem tornou-se clichê e sinônimo de país do sexo fácil, do país tropical em que todos os pecados são perdoados, sem falar que o Brasil há anos é visto no mundo como paraíso da corrupção e de um povo passivo que gosta de perdoar ladrões de terno e gravata e matar meninos de ruas famintos.
Nosso país culturalmente é riquíssimo, mas poucas pessoas fora do Brasil sabem disso, nossa literatura tem escritores geniais, no entanto até nas universidades brasileiras muitos deles não entram, mas muita gente fala de escritores alemães como se eles estivessem ali no boteco da esquina bebendo umas geladas.
Nos Estados Unidos você nunca vai encontrar um garoto que assim como você ama Legião Urbana, Camisa de Vênus, Cássia Eller e Elis Regina, eles nem sabem que essas pessoas e banda existiram um dia e não é tão somente porque são cantores de língua portuguesa, somos bons em acolher a cultura do mundo, mas péssimos para preservar e divulgar a nossa, olhamos para pessoas de outros países como se elas não fossem gente como a gente, como se fossem pessoas sem traços dos defeitos que qualquer ser humano tem, o resultado é que nos achamos feios, como pensa o Ed Mota. Dessa visão errada brotam o racismo e a xenofobia, tudo que lembra África ou os índios é  colocado em segundo lugar, nos enxergamos de maneira errada e nos mostramos ao mundo de maneira mais errada ainda.
Talvez seja mais fácil encontrar fãs da Janis Joplin  ou Jim Morrison no Brasil do que no país deles, lá eles já foram sugados ao máximo, aqui passamos a vida ouvindo cantores de língua inglesa  sem entender uma só palavra do que cantam e juramos que são todos fodas.
Ed Motta exagerou, mas é um fato: temos um abismo no ensino de línguas no Brasil, em países muitos mais pobres que o nosso é comum pessoas falarem inglês.
 Aprendermos uma segunda língua  não quer dizer que vamos escrever poemas em inglês, gravar discos em inglês e esquecermos nossa língua, nada disso, ao aprendermos uma nova língua entendemos melhor o que se passa com o mundo, temos noção mais ampla se  o Bob Dylan realmente tem ago a nos dizer e claro, entendendo melhor a cultura de outros países passamos também a olhar a nossa sem afetadas emoções e com mais respeito também.
É preciso tomada de posição no ensino de línguas no país. Não saber uma segunda língua não faz de nós pessoas menores como disse o Ed, nada disso, ao contrário dele , acredito que se pode ser estúpido em qualquer língua, pode-se falar dez línguas e ser uma pessoa intragável, no entanto, penso positivamente, falar outro idioma aumenta nosso poder  de viver o mundo, sair do nosso mundo, convidar outro mundo para entrar no nosso.
Se até 2025 nossos  alunos das escolas públicas e particulares estiverem fluentes em inglês é certo que muitas coisas melhoraram na nossa educação.

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…