Pular para o conteúdo principal

Meu amor

É preciso jogar no lixo tudo que for polarização. Tudo que é polarização tem como base o invisível acordo de alternância de poder sem que nunca nenhuma das partes deixe de fato o poder. Certo e errado, preto e branco, par ou impa, esquerda ou direita, bem e mal, tudo isso tem como razão de existir castrar alternativas, levam ao sectarismo e a demência ideológica, enquanto nas ruas pessoas se agridem, enquanto se permitem ao ódio os ideólogos disso tudo se fortalecem e vivem como reis sobre o império dos tolos.
Nada deve ser maior que o amor ao país e ao gênero humano. Tudo que separa, tudo que realça diferenças com o sentido de negar ao outro o direito ao viver, tudo que tem como base apontar erros  e nega-se a autocrítica é criminoso, perverso e braço forte da morte.
Não importa o viver solitário dos que procuram alternativa para polarização, importa é a convicção que ao fim muitos caminhos serão possíveis e preto e branco ganharão as cores de infinitas tonalidades.
Quem acredita que um partido ou uma instituição tem o poder de fazer qualquer pessoa melhor ou pior é um tolo ou um vencido pela ideologia da polarizadora. Entendo que não existem partidos de direita ou esquerda, existem partidos que desejam o poder, para se manter no poder todos metem, vão negar tudo que disseram quando fingiam inimigos do sistema, partido são o sistema, nunca foram contra, porque se não fossem assim, guardadas as mesmas estruturas que temos, nunca existiram de fato.
É preciso ir muito além do que nos apresentado, é preciso saber que não se vence nossas dificuldades dando abraços em quem nos mata no mais importante que temos: capacidade de amar, e capacidade de amar é o que nos faz ir além da vida vazia, de engolir sem mastigar, sem sentir o sabor das coisas.
A polarização odeia reflexões, a polarização é máquina da invisibilidade, a polarização cria instabilidade, a polarização é a morte da compaixão, sensibilidade.
Muitos se apresentam como novas alternativas, mas são frutos dessa sentença criminosa que é a polarização, se dizem a “pureza” da esquerda, “honestidade” da direita, mas são os mesmos carrascos vestidos de corações solidários.
É preciso somar os bons corações, mesmo que esses bons corações tenham mil visões diferentes de sociedade, e devem ter, só com mil visões diferentes encontraremos o caminho para um país fraterno e justo. Rejeitar toda visão sectarista, oportunista, mesquinha, todo discurso de ódio e intolerância, rejeita os que se recusam ao estudo, aos que estudam apenas os livros que o sistema indica, como aqueles cursos de pós-graduações em universidades tomadas por ideologias polarizadoras que indicam sempre a “bibliografia” da linha de pesquisa que eles obrigam os alunos estudarem.
É preciso formar especialistas livres, mestres livres, doutores livres e reconhece o saber cultural, político, religioso e artístico de milhares de pessoas que tiveram suas vozes caladas pela arrogância da polarização.
A mediocridade não deve ter espaço, o medíocre é o pior dos piores, é filtro azado que impede a água de correr, é o meio termo que ao ganhar poder parece ser o melhor caminho, mas é morte e castração, a mediocridade deve ser vencida e sepultada, meio termo com vida não nos serve para motivação social. Chega de repensar, agora é hora de pensar, não acumular lixo intelectual, ao sermos complacência coma mediocridade nos tornamos parceiros dela e pior condenamos tudo ao nosso redor ao inferno de uma vida medíocre.
É necessário nivelar por cima e não por baixo, a melhor rede de influência que você pode ter é uma educação sólida, concreta é ser capaz de ir além do que você acha que deve ser e pousar suas inquietações em bases intelectuais que vão muito além do achismo lugar comum. O maior orgulho que alguém pode ter não é ser negro, branco, índio, ariano ou qualquer definição estúpida, o maior orgulho que alguém pode ter é fazer parte do gênero humano e aos que acredita que há seres humanos que não fazem parte desse gênero o rigor da lei.
A polarização quer nos fazer crer que fazemos parte de culturas diferentes, povos diferentes, raças diferentes,a polarização quer nos destituir da alegria de sermos gente, da alegria de sermos parte desse mundo maravilho que é termos ciência do ontem, hoje e amanhã.
A polarização nos separou em classes, fomentou o preconceito social, condenou milhões a morte e a escuridão social, a polarização castrou caminhos, fez você acreditar que alguém é importante tão somente pelo que esse alguém tem ou representa, a polarização fez você acreditar que poderia comprar amor e ser amado tão somente pelo poder que você representa, a polarização colocou nossa humanidade em último plano.
Amar em liberdade, sentir em liberdade, ser livre e viver apaixonadamente todas as causas humanas, ter com a natureza uma relação de solidariedade, saber-se capaz de amar sem nada esperar, não sentir o peso da solidão, ser capaz de um diálogo fraterno com a solidão, saber que como escreveu Raul Seixas: “De que o mel é doce é coisa que eu me nego a afirmar, mas que parece doce eu afirmo plenamente”. Alegria sincera sempre!


    


Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

Livros. Bendita seja minha mãe que aos livros me apresentou, benditos livros que não me tornaram parte do lado doce da vida, mas também não me deixaram afundar no lodo existencial.  Bendita sejam todos letrados ou iletrados, benditos sejam os olhos "cegos" do meu pai que foram os guias dos meus passos, bendita seja cada letra do alfabeto, cada virgula, ponto, travessão, exclamação, dois pontos para me levarem ao mundo sem dor. Benditos sejam os anjos das vogais, os doutos das consoantes, Bendita seja minha professora Norma e sua doce alegria que na minha adolescência me mostrou a poesia da gramática, bendito seja meu professor Anchieta Nery  que me disse:  -Você é poeta. Bendita seja a noite, a sempre noite das minhas insônias, as tristezas amigas, o espelho que não me reflete, bendita seja a fé que não tenho,  esteja comigo para que na hora da minha morte eu não sofra o que já sofri pelas horas da vida. Benditos sejam os amores,  paixões,  verdades,incertezas da vida, gran…

A onda da mediocridade

Não acredite nesta história de "onda azul ou vermelha". Frases como essas foram criadas por empresas de propagandas, elas querem convencer você a votar da mesma maneira que nos induzem a comprar tal marca de cigarros ou cervejas. Essas empresas de publicidade não estão preocupadas com sua cidade ou sua felicidade, querem que você descida pela emoção, enquanto você ataca com sua emoção quem defende a "onda azul" ou quem defende a "onda vermelha", criando um clima de justiçamento político não enxerga o óbvio: as mentiras que são contadas, inventadas para que você se sinta bem estando de um lado ou outro, para que você tenha orgasmos políticos, como se realmente fizesse parte da mudança prometida, mas você é só uma ponte para que um grupo ou outro chegar ao poder. A “onda azul" e a " onda vermelha" são motivadas não por um sincero sentimento de esperança, realização ou sentimento cidadão, são motivadas pelo desejo de poder, é só o que aliment…

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys

O que Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys têm em comum? Todos são ex-empregados da Rede Globo. O Buarque e o Wyllys se dizem de esquerda, Veloso é...é... Olha quem sabe, porém quem nemnem. Pois bem. Há quem acredite que "gênios" se fazem sozinhos, que eles têm o poder mágico do talento e só isso basta para que tenham reconhecimento e sucesso. Não é. Sem o poder da Rede Globo nunca essas pessoas teriam o alcance que tiveram e duas delas levantariam dúvidas sobre a suposta genialidade atribuída a ambos. Dez entre dez pessoas “super inteligentes” “cabeças”, “imunes a manipulação da mídia golpista” têm no trio citado aqui algo que chamo de esquerdismo cristão. Conheço até pessoas que recusaram participação em programas da Rede Globo, acreditando assim estarem contribuindo, como bem cantou Raul Seixas, “para ao nosso belo quadro social”, mas rezam na cartilha de crias da própria Globo. Jean Wyllys é um pouco mais velho que eu, mas somos da mesma geração, militei anos n…