Misérias do Brasil

 Nordestina ,16 anos de idade, analfabeta, mãe, vive do bolsa família. Quem nos conta a história dessa menina é o senador Cristovam Buarque. Em 2005, o helicóptero que levava Lula e sua comitiva, por causa do mal tempo pousou em um pasto, o estado era Pernambuco, crianças correm para olhar de perto aquela cena rara, ficam surpresos quando Lula, o presidente, desce, se aproxima delas, há uma cerca entre eles, Lula se agacha, nenhuma foto de Lula é mais emblemática que aquela feita naquele dia, é como se ele estivesse olhando para seu próprio passado.
O senador Cristovam Buarque diante a cena desoladora faz um desafio ao presidente: alfabetizar todas aquelas crianças. Dez anos depois o senador (quando ministro da educação foi demitido por um assessor do presidente pelo telefone) voltou ao lugar, com ajuda de uma assistente social encontrou as crianças, todas analfabetas e sem perspectiva, aquelas crianças não são exceção, tragicamente são a regra.
Escreve o senador Cristovam Buarque: “Ao chegar, percebo que aquele quadro não era responsabilidade do presidente: afinal, ele tinha assumido o cargo pouco antes, mas se permanecesse daquela maneira pelos anos seguintes, ele teria que responder por isso”. Lula naquele momento não só encarou a “herança maldita” de todos ex-governantes, como dez anos depois nada fez para resolver a situação, hoje ele também é cúmplice daquele estado de miséria permanente.
Cristovam Buarque ainda nos diz o seguinte: “O bolsa família ajuda a sobreviver, mas não emancipa. Aquelas crianças, hoje adolescentes, não foram emancipadas”. Aqui uma questão das mais urgentes, o governo diz ter tirado milhões de pessoas da miséria, mas que miséria? Milhões de brasileiros hoje vivem dependentes do governo, são chantageados a cada eleição com possibilidade do fim do bolsa família se o PT deixar o governo, essas mesmas pessoas vivem na miséria do analfabetismo, da violência, de um sistema de saúde cada vez mais degradado. Nos sertões e litoral do nordeste a miséria continua, muitas pessoas são obrigadas a buscar refúgio ao sul do país e sofrerem todo tido de privações e preconceitos.
Mesmo sabendo da importância da Operação Lava Jato que desarticulou uma perigosa quadrilha que sangrou a Petrobas, entendo que o gargalo do Brasil são as pequenas cidades, deve-se monitorar pequenas empreiteiras, emendas parlamentares que saem de Brasília e fazem a festa do crime pelas prefeituras do Brasil, nada praticamente é feito para levar educação de qualidade a milhões de crianças, tudo se resume a derrubadas e reconstruções de prédios escolares , muitas gente acredita ser investimento em educação, secretarias de educação parecem mais escritórios de construtoras enquanto o ensino é renegado.
O nordeste desde sempre é a maior vitima disso tudo,  são gerações e mais gerações sucateadas, jogadas no lixo político, são gerações e mais gerações entregues ao acaso. Não consigo enxergar na maioria dos políticos desse país traço algum de solidariedade, de amor ao próximo, de desejo de se fazer justiça social, a maioria está entregue a soberba, a ganância, a gestão do crime político. Sem mudar as estruturas jurídicas e da administração pública cada vez mais o Estado Brasileira será refém dessa máquina canibal, perversa e excludente chamada: desigualdade social.
http://livrosdeedineysantana.blogspot.com
Fonte de pesquisa: Correio Braziliense, Brasília, sexta-feira02 de outubro de 2015  


                                                                                                                                                                   

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys