O presidente Negro

Um livro para quem tem estômago forte: “O Presidente Negro” foi o único romance publicado por  Monteiro Lobato, lançado em 1926 com o título de: “O choque” e uma nota explicativa: “Romance do Choque das raças na América (Entende-se Estados Unidos) no anno de 2228”. O livro narra a história de um cientista e seu invento capaz de enxergar o futuro, não só prever, mas olhar por uma espécie de luneta todos os acontecimentos futuro nos Estados Unidos. Primeiro deve-se destacar a incrível capacidade de Monteiro Lobato entender o presente e projetar a partir disso acontecimentos futuros. E quais são as previsões que aparecem no livro?  O aparecimento da Internet,  urna eletrônica, prever os gigantescos engarrafamentos e a redescoberta do prazer de andar a pé, prever também o declínio da Europa e a ascensão dos Estados Unidos e mais, prever que a China,  em 1926 era quase feudal, seria uma   nações influente e poderosa , claro prever um negro como presidente dos Estados Unidos.
 O texto é cruel, mostra o racismo, eugenia e lutas entre raças sem piedade alguma, corta na carne, faz o estômago revirar. No distante Estados Unidos de 2228 dois partidos, um controlado pelos os homens e outros por feministas radicais disputam as eleições presidenciais, ambos os partidos são racistas. Defendia-se a ideia de que os negros dos Estados Unidos deveriam ser exilados na Amazônia,tenta-se clarear os negros, mas não deu certo porque não conseguiram alisar os cabelos, resolvem então dividir o país em norte e sul, norte para os brancos e sul para os negros.
Os dois partidos chegam à conclusão que sozinhos um não seria capaz de vencer o outro, então esquecem temporariamente o racismo e pedem ajuda ao líder negro Jim Roy, quem ele apoiasse venceria as eleições. Aqui outra profecia do livro: quando Obama foi chamado para disputa presidencial, a eleição estava entre um homem e uma mulher, o apoio dele seria importante. Jim Roy deixou para o último momento qual seria sua posição na eleição, não ficou nem de um lado de do outro, se colocou como candidato do povo negro e venceu a eleição, note que só com os votos dos negros ele também não venceria, o que nos faz acreditar que muitos brancos votaram nele.
Os candidatos brancos derrotados não se deram por vencidos, lembra  da história do cabelo? Um cientista inventou uma formula que alisava os cabelos dos negros, até Jim Roy usou, logo depois foi informado pelo presidente derrotado que a tal formula deixava os negros estéreis. No dia da pose, Jim Roy é encontrado morto.
O livro provoca muitos debates, mostra de maneira cruel o crescimento do racismo e xenofobia. O discurso de Jim Roy rememorando o calvário do negro nos Estados Unidos é desesperador, comovente. Monteiro Lobato mostra o conflito racial a partir da visão do negro, mas não o transforma em herói, mostra-o como vítima e muitas vezes passivo.
Penso que “O Presidente Negro” é um livro para ser lido e debatido a luz da razão, nas escolas, universidades, lido por todas as pessoas, se o futuro parece assustador, podemos agora no presente fazê-lo melhor.
Ediney Santana

     
  

                                                                                                                                              

Postagens mais visitadas deste blog

Mãe

A onda da mediocridade

Caetano Veloso, Chico Buarque e Jean Wyllys